Fundo de Apoio ao Cinema

29-31 Agosto 2020, Culturgest

Criado em 2011, o Fundo de Apoio ao Cinema é um instrumento complementar de apoio à pós-produção de filmes portugueses. Em edições anteriores foram apoiados projectos de Gabriel Abrantes, Catarina Mourão, André Santos e Marco Leão, Tiago Hespanha, Inês Oliveira, Miguel Nunes, Leonor Noivo, entre outros.

Condições de elegibilidade

Os projectos candidatos podem ser curtas ou longas metragens, independentemente do seu género (ficção, documentário, animação ou experimental) em fase de início de pós-produção (alinhamento ou montagem quase finalizada) no momento da candidatura, da autoria de realizadores portugueses (ou de estrangeiros com residência permanente em Portugal) e com produção portuguesa. Os projectos candidatos podem ter obtido outros apoios (nomeadamente ICA, Fundação GDA, ou outras entidades), havendo uma quota de 50% garantida para projectos de baixo orçamento. Para mais informações consultar o Regulamento ou contactar Carlota Gonçalves – fundo@indielisboa.com.

Parceiros

Ao IndieLisboa juntam-se os parceiros Escola das Artes, Universidade Católica Portuguesa (Porto), Fundação GDA, Digital Mix Música e Imagem, The Yellow Color, e a Portugal Film – Agência Internacional de Cinema Português que participará para mostrar a programadores e distribuidores internacionais os projectos em fase de work-in-progress no contexto das Lisbon Screenings, sessões privadas de filmes portugueses por estrear especialmente organizadas para estes convidados internacionais.

Prémios

a) Escola das Artes, Universidade Católica Portuguesa (Porto): apoio financeiro no valor de €1.500 atribuído a um projecto de qualquer metragem e género;

b) Digital Mix Música e Imagem: serviços de pós-produção de som para uma longa metragem e uma curta metragem;

c) Fundação GDA: €6.000 para criação de música original, premiando uma longa metragem (€4.000) e uma curta metragem (€2.000), ou em alternativa três curtas metragens (cada uma €2.000);

d) The Yellow Color: dois dias de estúdio em pós-produção de imagem para uma curta metragem, sendo o pagamento do(s) técnico(s) à parte.

Prazos e funcionamento

O prazo para candidaturas terminou a 20 Março de 2020. Uma comissão constituída por elementos de todas as entidades parceiras escolheu oito projectos, de todas as candidaturas válidas recebidas. Estes oito projectos seleccionados apresentar-se-ão perante um júri internacional durante o IndieLisboa, no âmbito do qual são visionados os excertos dos trabalhos e as equipas de cada filme realizam um pitch.

Projectos selecionados

Jandira Ascensão
Gustavo Imigrante, curta metragem, experimental, produção: Estúdio Imigrante

Namorados a Penar Cantam Dormienti
Diogo Baldaia, curta metragem, ficção, experimental, produção: Areosa\

Noite em Claro
Felipe Bragança, longa metragem, ficção, produção: Promenade

Rio Pele
Mário Macedo, curta metragem, ficção, produção: B’Lizzard

Silêncios
César Pedro, curta metragem, documentário, experimental

Terra Prometida
Margarida Gramaxo, longa, documentário, produção: Maus da Fita

Vexations
Leonardo Mouramateus, curta metragem, documentário, produção: Satisfyin’ Lover

With Flowers
Helena Estrela, curta metragem, documentário, ficção, experimental

Júri

A anunciar

O Fundo de Apoio ao Cinema acontece nos dias 29 a 31 de Agosto, na Culturgest. A sessão de pitching no dia 30 de Agosto é de entrada livre ao público profissional e geral. Os vencedores são anunciados no dia seguinte.

 

Parceiros –  Sobre

Escola das Artes, Universidade Católica Portuguesa (Porto)

A Escola das Artes (EA) da Universidade Católica Portuguesa, sediada no Porto, oferece um conjunto de formações universitárias, entre licenciaturas, mestrados e doutoramentos, no campo do ensino artístico, com particular ênfase para o cinema. A EA privilegia a criação de uma identidade artística por via da combinação entre um ensino do pensamento crítico com o desenvolvimento artístico e técnico, promovendo assim o surgimento de futuros realizadores, artistas, curadores e profissionais que possam pensar e criar no mundo contemporâneo. Paralelamente a EA oferece um programa cultural intenso de exposições, residências artísticas, sessões de cinema, performances e aulas abertas dirigidas à comunidade.

Digital Mix Música e Imagem
A DMix, Digital Mix Música e Imagem, Lda. é uma produtora de som e imagem, situada no Saldanha, com 2 estúdios de som, sendo um estéreo e outro 5.1 surround, preparado para produção e pós-produção de som nas áreas da publicidade, música, televisão, cinema e em todas os aspectos a que o som diz respeito. Equipada com tecnologia de última geração, está capacitada para responder às necessidades do mercado, som qualidade e rapidez, posicionando-se como um parceiro tecnológico e criativo, dedicado a encontrar as melhores soluções para as solicitações dos nossos clientes.

Fundação GDA
A Fundação GDA desenvolve um trabalho de suporte aos artistas e de apoio às suas actividades profissionais em múltiplos níveis. Essa missão realiza-se utilizando uma parcela dos direitos de propriedade intelectual gerados pelos próprios artistas, assegurados pela GDA, a organização responsável pela gestão colectiva dos Direitos dos Artistas, e reverte a favor de toda a comunidade artística, através de programas de promoção das artes e cultura, de protecção social dos artistas, da promoção de actividades de formação, da criação de oportunidades de trabalho, além da divulgação e protecção dos seus direitos de propriedade intelectual.

The Yellow Color
The Yellow Color é um estúdio de pós-produção especializado em correcção de cor para cinema e publicidade. Este é o novo projecto do colorista Marco Amaral que nos últimos anos tem colaborado de perto com os melhores realizadores portugueses em mais de 100 filmes exibidos nos maiores festivais de cinema por todo o mundo. Trabalhando de perto com artistas de efeitos visuais e montadores/misturadores de som, consegue apresentar soluções completas de pós-produção para projectos de todas as escalas.

Portugal Film – Agência Internacional de Cinema Português
A Portugal Film – Agência Internacional de Cinema Português foi lançada em 2015 e é responsável pela distribuição internacional e vendas de longas e curtas metragens em Portugal. O plano de internacionalização para cada um dos filmes (ficções, documentários, animações e filmes experimentais) do catálogo deve-se à forte capacidade da agência em programá-los nos principais festivais de cinema do mundo. Empenhada na internacionalização do cinema português, a Portugal Film promove ao longo do ano várias acções (presenças em mercados e festivais e projecções para a indústria) visando fazer chegar os filmes a distribuidores, festivais e redes de exibição locais que os mostrarão a um público internacional.

Imagem: “Raposa”, de Leonor Noivo.