23 MAIO — 02 JUNHO 2024

23 MAIO — 02 JUNHO 2024

Chuvas de Verão

Mário Veloso

Portugal
2024, 15'

Um grupo de rapazes perturba a memória matriarcal de um quarto antigo. Perante a iminência do perigo, os rapazes mais velhos disputam a liderança. Quando a tarde avança, partem para a violência. Chico, o mais novo e mais desajustado, encontra um prenúncio trágico de desejo.

Lembro-me uma vez, quando tinha 12 anos, de subir um parapeito do jardim na casa dos meus avós. Era altíssimo, perigoso e não sei se realmente aconteceu. Lembro-me da emoção, mas não me lembro dos acontecimentos. O que fica é uma imagem pouco nítida, que poderia ter sido gerada pela minha cabeça para preencher o vazio de uma falsa memória. No cinema, tal como na memória, um momento, durante uma tarde de verão, sob uma chuva quente que preenche o ar com um peso muito específico, pode durar uma eternidade. Chuvas de Verão faz-me sentir que estou a ver uma memória minha, apesar de nunca ter ido para um sótão com os meus amigos queimar um vestido antigo. Primeiro filme de ficção de Mário Veloso, que já tão notavelmente capta algo essencial ao cinema, a emoção sentida num momento interminável durante uma tarde de verão que já não nos lembramos muito bem. (Rui Mendes)

Novíssimos

SESSÕES

FICHA TÉCNICA

TIPO DE ESTREIA
Mundial
TÍTULO ORIGINAL
Chuvas de Verão
DIÁLOGO
Português
LEGENDAS
Inglês
ARGUMENTO
Mário Veloso
ELENCO
Gabriel Storm Lima, Lucas Torres, Nuno Araújo, Tiago de Sousa, Tiago Teixeira
FOTOGRAFIA
Bruno Reis Oliveira
SOM
Luís Silveira
MONTAGEM
Maria Patrão
PRODUTOR
João Santana
VENDAS
Escola das Artes | Universidade Católica Portuguesa ([email protected])

PARTILHAR

CURTAS DO MESMO PROGRAMA

NEWSLETTER

  • TIPO DE CONTEÚDO