Orléans

Virgil Vernier

IndieLisboa 2013 •

Ficção, 2012, 60′

Se existe um terreno perfeito entre o documentário e a ficção, no qual um filme cresce em equilíbrio estável, Vigil Vernier encontrou-o de forma inata. A estranheza da rotina de duas strippers de um bar em Orléans mistura-se com as igualmente bizarras festividades anuais em honra de Joana d’Arc. As duas raparigas compreendem-se. De noite são uma ficção de si mesmas, de dia mergulham na narração da vida de outra mulher, e estendem-na para as suas. Um ambiente que não anda longe da cirurgia romântica de Rohmer. No início estamos nervosos, aguardamos o choque, mas a espontaneidade das cores e dos movimentos, dos diálogos, faz com que estes acontecimentos, por mais distantes que possam ser, pareçam tão naturais como a nossa própria rotina. (M. M.)