Retour à Toyama

Takumi deixou Toyama, na costa do Japão, há algum tempo. Regressa depois da morte do pai, que nunca quis que ele partisse. Passeia e visita agora os sítios e as relações que deixou para trás, com a melancolia de quem olha com outros olhos para o que foi tão familiar.

Nous

Quem somos nós? Que espaço há, para cada pessoa, nessa palavra? O RER B atravessa Paris até aos seus subúrbios. Esta é a linha onde Alice Diop traça retratos isolados que compõem um todo. Um filme-ensaio que questiona uma nação francesa assombrada por divisões e fracturas cuja cura parece complicada. Mas há espaço para os gestos que unem os seres humanos, independentemente do que os separa.

A Dim Valley

Nesta versão etérea e moderna de um filme de amor livre dos anos 1960, encontramos um biólogo mal-humorado e os seus assistentes de pós-graduação a tentar avançar com um projeto de verão na natureza selvagem da floresta dos Apalaches. Aí, encontram três misteriosas figuras que mudarão as suas vidas.

Ella i jo

Queralt, a mãe, e Gemma, a filha, pintam nos seus próprios espaços. Uma em Barcelona, outra em Atenas, mas a distância entre as duas não é só geográfica. Os telefonemas de Queralt conduzem estes 20 minutos de momentos quotidianos.

Easter Eggs

A amizade de Jason e Kevin está num estado periclitante. Jason quer ir à caça de papagaios para os vender e comprar uma bicicleta. Kevin quer que ele se cale. A busca pelos pássaros acaba por despoletar um confronto, onde ternura e violência se misturam.

Blue Rose

Um documentário que explora todas as facetas do conceito de flor, reflectindo sobre a sua beleza, a sua história e a sua comodificação. De experiências para atingir uma cor específica a um leilão, o mundo semiótico da flor está contido nos capítulos deste ensaio visual.

Come here

Sam trabalha num canil em Ostende, onde o terapeuta canino Koen ensina os donos a tomarem conta dos seus amigos de quatro patas. Sam e Eva, a dona de uma cadela inquieta, aproximam-se e nasce uma amizade, bem como um novo porto seguro para ambas.

Nuits sans sommeil

Um núcleo familiar comum, mas com uma faceta lunar: um pai dominador, uma mãe distante, uma filha adolescente insegura em relação ao namorado, e o mais pequeno, talvez num limbo identitário.  Cada um deles a transbordar com as suas próprias frustrações e desejos.

Bambirak

Faruk tem, como primeiro emprego na Alemanha, a responsabilidade de entregar encomendas. Neste dia, a sua filha de oito anos, Kati, esconde-se na sua carrinha para passar o dia, e tempo, com o pai. Mas um momento de racismo encapotado testa a relação dos dois. 

The Shift

A princípio nada parece carregar Anna com preocupações ou pesos enquanto faz uma viagem curta, na companhia do cão. Mas o ambiente começa a mudar ao entrar no supermercado. Enquanto vê as prateleiras, os expositores, faz cálculos mentais. Até ao telefonema.

Transportation Procedures For Lovers

Uma experiência sinestésica em que, entre uma história de um casal que se separou e um telefonema à Fedex perguntando se esta transportaria pessoas, se reflecte sobre os melhores métodos para se chegar mais perto de quem se ama. 

Lonely Blue Night

Diana Lin (a Lu Jian de A Despedida de Lulu Wang) é a protagonista de um jantar que é, ao mesmo tempo, uma desagradável reunião de negócios e uma desajeitada reunião familiar. O reencontro é entre a filha, que foi viver para a América, e o pai, a mãe (Lin) e o irmão.

Tracing Utopia

Uma viagem virtual pelos sonhos e desejos de um grupo de adolescentes queer de Nova Iorque, uma Geração Z que vê o mundo com olhos diferentes e esperança no futuro. Um filme que ilustra a importância, e o poder, de encontrar uma comunidade.

Radiograph of a Family

Um documentário extremamente pessoal onde Firouzeh Khosrovani dá a conhecer intimamente a vida e o casamento dos seus pais, pessoas que não poderiam estar em pólos mais opostos do secularismo e da ideologia islâmica religiosa. Uma história contada através de imagens de arquivo, cartas e conversas, numa radiografia que ultrapassa o particular para ilustrar também conflitos no âmago da sociedade iraniana.

Les Sorcières de l’Orient

As mulheres da equipa feminina de vólei japonesa que ganhou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1964, em Tóquio, eram conhecidas como “As Bruxas do Oriente”. Ainda hoje mantêm um recorde de 258 vitórias consecutivas. Agora, nos seus setenta anos, reencontram-se num passeio por memórias, com direito a sequência de anime e um olhar brincalhão, repleto de referências pop.