Jessica Forever

Caroline Poggi, Jonathan Vinel

IndieLisboa 2019 •

Ficção, 2018, 97′

Recentemente a revista Cahiers du cinèma publicou um manifesto assinado por Bertrand Mandico, Yann Gonzalez e pela dupla Vinel & Poggi. Intitula-se ‘Flamme’ e defende «Um cinema para sonhadores que suam, monstros que choram e crianças que ardem.» “Jessica Forever” queima nesse romantismo violento: num futuro distópico onde jovens sanguinários formam uma família matriarcal revestida a coletes antibala e amor. Uma primeira longa que é o culminar do trabalho da dupla nas curtas (venceram o Urso de Ouro em 2014) – as quais podem ser (re)vistas este ano no Foco Silvestre.