Haut, bas, fragile

Jacques Rivette

IndieLisboa 2019 •

Ficção, 1995, 169′

Depois da austera revisão do filme histórico no anterior Jeanne la pucelle (1994), Rivette concebeu Haut bas fragile sob o signo do cinema musical. “Inspiração? Os filmes de baixo orçamento da MGM dos anos cinquenta, rodados em quatro ou cinco semanas, utilizando cenários deixados por outros filmes; em especial um filme de Stanley Donen chamado Give a Girl a Break” (Rivette). Eis então um filme com um grupo de raparigas, canções e números de dança. A participação especial de Anna Karina sugere que Haut bas fragile também pretende evocar alguma coisa do “espírito Nouvelle Vague”. (Cinemateca Portuguesa)