Foyers

Paul Heintz (“Non-contractuel”, IndieLisboa 2016) regressa ao festival com uma viagem ao universo de um pirómano, que nos dá a conhecer os seus sonhos e desejos e como estes estão ligados, pelo inconsciente, ao seu fascínio pelo fogo.

Non-contractuel

Em França existem empresas virtuais para os desempregados, em Non-contractuel vemos os trabalhadores da Autodis onde não se vendem carros, onde tudo é simulação.