Blue

O cinema onírico de Apichatpong Weerasethakul revela-se na sua máxima poesia em “Blue”: onde o estado de vigília faz arder os sonhos no palco do inconsciente e a insónia transforma a paisagem da noite.

A Letter to Uncle Boonmee

Uma câmara em movimento lento capta o interior de algumas casas numa aldeia. Estão todas desertas à excepção de uma onde se encontra um grupo de soldados. Não é claro se estão a exumar ou a enterrar alguma coisa. Ouvem-se vozes de três rapazes. Repetem, ensaiam, memorizam uma carta a um homem chamado Boonmee.

Sakda

Poema visual musical, em que Sakda nos diz quem é enquanto o seu som se espalha pelo caudal do rio Mekong. Em cada plano deste pequeno filme se sente a pulsação deste cineasta único ‚ Joe, cujos fantasmas de olhos vermelhos nos acompanham através de uma experiência sensorial cinematográfica. (M. V.)

Sud Pralad

Algo de mágico está no ar. Os tempos são de felicidade e o amor parece simples para o jovem soldado Keng e para o provinciano Tong. A história começa com uma sensual história de amor, noites agradáveis com a família de Tong e noites cheias de música na cidade‚Ķ De repente, a vida é abruptamente interrompida por um desaparecimento. E há uma espécie de monstro selvagem que anda a atacar as vacas. As lendas locais rezam que um ser humano pode, de alguma forma, ser transformado noutra criatura‚Ķ É então que começa o conto de um soldado que parte sozinho para o coração da selva tropical, onde os mitos são, na maioria das vezes, realidade.

Sang Sattawat

Syndromes and a Century” explora o modo como nos lembramos de coisas, como o nosso sentido de felicidade pode ser activado por coisas aparentemente insignificantes. É um filme em duas partes que fazem por vezes eco uma da outra. As duas personagens centrais são inspiradas nos pais do realizador, nos anos que precederam a altura em que se tornaram amantes. A primeira foca uma médica e é ambientada num espaço reminiscente do mundo em que o realizador nasceu e foi criado. A segunda centra-se num médico e é ambientada num espaço mais contemporâneo e mais parecido ao do mundo em que vivemos.