Já vamos na 2ª semana do IndieLisboa!

Após uma semana intensa e surpreendente de festival, com várias sessões esgotadas e muitos reencontros entre realizadores, programadores e espectadores, preparamo-nos para o arranque da segunda semana, com mais 6 dias na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa, no Cinema Ideal e no Capitólio.

Com o arranque da segunda semana, destacamos várias sessões que irão decorrer durante estes seis dias na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa, no Cinema Ideal e no Capitólio, tais como:

A Arte de Morrer Longe, de Júlio Alves, adaptado de uma obra do escritor Mário de Carvalho. A Metamorfose dos Pássaros de Catarina Vasconcelos, com sessão esgotada já para dia 1 de setembro no Cinema São Jorge. Em retrospectiva dos 50 anos do Forum Berlinale, no dia 1 de setembro na Cinemateca Portuguesa será exibido ao ar livre uma obra prima de Makavejev que esteve banida na Jugoslávia durante 16 anos – W.R. – Misterije Organizma.
O Fim do Mundo, de Basil da Cunha volta ao Cinema São Jorge dia 2 de setembro às 18h45.
O filme da sessão de abertura desta 17ª edição do festival, volta a ser exibido no dia 3 de setembro às 21h30 na Culturgest – La Femme de Mon Frère – de Monia Chokri. No mesmo dia, é exibido o Show Me the Picture: The Story of Jim Marshall.
Para os mais novos, o IndieJúnior traz uma sessão de Filme + Debate – Quando a Identidade de Género Não Coincide com o Género que foi atribuído à Nascença – na Biblioteca Palácio Galveias às 18h.
O famoso documentário Gimme Shelter, que em conjunto com o Forum Berlinale, celebra também os seus 50 anos numa sessão às 21h30 na Culturgest. Rizi, do taiwanês Tsai Ming-Liang, é exibido novamente, no Cinema São Jorge às 21h45.
No último dia do festival, 5 de setembro, uma sessão da retrospectiva de Ousmane Sembène – Borom Sarret + La Noire De…+ Tauw – será exibida às 19h na Cinemateca Portuguesa.
Jeanne, de Bruno Dumont um musical baseado numa peça de Charles Péguy, passa às 21h30 no Cinema São Jorge.

 

Filme + Debate: Quando a identidade de género não coincide com o género que foi atribuído à nascença

Quando a identidade de género não coincide com o género que foi atribuído à nascença

Pais e filhos, professores • 90’

Dia 3 de setembro (quinta-feira às 18:00) na Biblioteca Palácio Galveias, Sala Polivalente
Entrada Livre (limitada à lotação da sala)

A curta metragem Beleza, de Christina Willings, um documentário sobre cinco crianças não binárias, será o ponto de partida para o debate sobre “Quando a identidade de género não coincide com o género que foi atribuído à nascença”. Serão vários os convidados para o debate que aborda este tema focando a transição social na família e ambiente escolar. Para este debate contamos com o apoio da AMPLOS (Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual e Identidade de Género).

O filme Beleza, passa em sala na sessão de curtas metragens Levantar a Voz! + 12 anos* 43’

Sáb. 11h30 – 29 de Agosto – Cinema Ideal

Sáb. 11h15 – 5 de Setembro – São Jorge Sala 3

Convidados para o debate (com apoio da AMPLOS):

Moderação do debate

Margarida Moz – Programadora de curtas metragens do festival IndieLisboa e Directora da Portugal Film.

A concluir o doutoramento em Antropologia Social na área de família, género e sexualidade, tem nos últimos anos conciliado a vida académica com o cinema. Começou por trabalhar no Festival de Cinema Gay e Lésbico (antiga designação do Queer Lisboa) tendo passado por outros festivais, mostras e produções cinematográficas onde desempenhou as mais variadas funções. Para além de professora convidada de antropologia na ESEL, é programadora de curtas metragens do festival IndieLisboa desde 2012 e em 2014 assumiu a direcção da Portugal Film, agência para a internacionalização do cinema português, que nos últimos anos muito tem contribuído para a forte presença de filmes portugueses nos mais importantes festivais de cinema internacionais.

André Tecedeiro

​(n. 1979)
É artista plástico e poeta.

Licenciado em Pintura pela FBAUL e mestre em Artes Visuais pela UE. Frequenta o mestrado em Psicologia dos RH na FPUL.
Publicou ​Rebento-Ladrão (Tea for One, 2014), ​Deitar a Trazer (Douda

Correria, 2016), ​O Número de Strahler e ​A Arte da Fuga ​(Do Lado Esquerdo, 2018 e 2019). Outros poemas estão dispersos por revistas literárias e antologias. Em 2019 foi tema de uma sessão do Clube dos Poetas Vivos, (Teatro Nacional D. Maria II) e de uma leitura encenada do ciclo Da Voz Humana.

É um homem trans e ativista LGBTQ.

Margarida Lima de Faria

Socióloga. Doutorou-se em Estudos Museológicos na Universidade de Leicester. Atualmente é investigadora do ISA – Instituto Superior de Agronomia – na área da Sociologia Rural em regiões tropicais. Abraçou a causa dos direitos LGBTI quando soube que uma das suas filhas era lésbica. Fundou, com o seu marido a AMPLOS, uma associação de pais de LGBTI. Desde 2009 tem trabalhado com famílias de pessoas LGBTI e tem está ativamente envolvida na luta contra a discriminação e pela defesa dos direitos LGBT na legislação portuguesa. O trabalho da AMPLOS tem-se alargado à intervenção em meio escolar e a nível comunitário. A AMPLOS está atualmente preocupada em alargar a sua ação à defesa dos direitos de crianças de género não normativo pela defesa de ambientes escolares seguros, e de género neutro, que possibilitem a livre expressão destas crianças. Foi também vice-presidente da associação FDS – Familias por la Diversidad Sexual – que reúne associações de pais de 22 países da América Latina, Espanha e Portugal de 2013 a 2016. Atualmente é secretária geral da rede europeia European Network of Parents of LGBTI persons – ENP.

Rui Ferreira Carvalho

Médico Interno de Psiquiatria da Infância e Adolescência (Pedopsiquiatria) no Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental da Infância e Adolescência (SPSMIA) do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) – Hospital de Santa Maria e Hospital Pulido Valente. Terminou o Mestrado Integrado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 2016 e realizou o Internato de Ano Comum no Hospital Beatriz Ângelo. Foi um dos membros fundadores e é o Coordenador Geral do Projeto de Educação Sexual SexED desde 2012. Concluiu as Pós-Graduações em Sexologia Educacional, em Aconselhamento/Counseling em Sexologia e a Especialização Pós-Universitária em Sexologia Clínica da Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica (SPSC), encontrando-se a realizar a formação em Terapia Sexual. É sócio da SPSC e Membro da Direção 2018-2021. Frequentou a European Society of Sexual Medicine (ESSM) School of Sexual Medicine em 2017 e é sócio da ESSM desde 2015. Tem ainda formação científica e pedagógica do Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens (CAOJ) da Fundação Portuguesa A Comunidade Contra a SIDA, tendo sido voluntário e atualmente formador do Projeto Nacional de Educação pelos Pares. É Formador certificado pelo IEFP (CAP/CCP) e tem ministrado workshops e formações a estudantes de Medicina e a profissionais de saúde na área da Sexologia.

 

O Indiefrente e o IndieLisboa no maat

Naquele que é um ano desenquadrado com a realidade, o indiefrente celebrará o seu 4º aniversário, mas este ano aliando-se à 17ª edição do IndieLisboa, na sala oval do maat – Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia, no próximo dia 3 de Setembro, entre as 16h e as 20h, para um evento pleno e repleto de música, cinema e arte, seguindo todas as regras da DGS.

A tarde iniciar-se-á em tom de contemplação com a escuta do álbum “Volúpias”, de Gabriel Ferrandini, e material inédito gravado nestes últimos anos, de forma a contextualizar o seu crescimento musical e problematizar a prática da improvisação, composição e desenvolvimento de novas linguagens híbridas. Gabriel é um dos músicos em foco no filme Caos e Afinidade, de Pedro Gonçalves, documentário este que integra a secção IndieMusic este ano. A sessão contará também com uma conversa entre o realizador e o músico.
Com o cair da noite, assistiremos ao concerto de Violeta Azevedo e a uma selecção livre de discos do Gabriel. Razão suficiente para virem daí, com as vossas máscaras, e ocuparem os lugares limitados à lotação de capacidade do espaço neste momento-chave de adaptação em que todos nos encontramos. O reencontro é o início da dança, expressão e da liberdade que não perdemos.

O bilhete pode ser adquirido aqui por 15€.

O IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema decorre entre os dias 25 de Agosto e 5 de Setembro no Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa e Capitólio.

Sessão de Abertura IndieLisboa ’20 – 25 Agosto

O IndieLisboa acabou de começar!
Sessão de Abertura – 25 Agosto

O festival arrancou no dia 25 de Agosto, nas salas habituais – Culturgest, Cinema São Jorge, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa.

A Cerimónia e Sessão de Abertura da 17.ª edição do IndieLisboa by Allianz realizou-se na Sala Manoel de Oliveira no Cinema São Jorge com o filme La femme de mon frère, de Monia Chokri.

Para quem não conseguiu assistir à sessão de abertura, terá oportunidade de ver o filme La femme de mon frère no dia 3 de Setembro às 21h30 na Culturgest – Grande Auditório.

Para além da sessão de abertura no Cinema  São Jorge, arrancou  no Grande Auditório da Culturgest às 21h30 o filme Billie, de James Erskine, pertencente à secção IndieMusic.

Aqui ficam alguns registos do arranque desta edição do IndieLisboa no Cinema São Jorge:

Cerimónia de Abertura | IndieLisboa 2020

Conversas com Realizadores – IndieLisboa ’20

Conversas com Realizadores 

Nesta edição do IndieLisboa, as conversas presenciais sobre os filmes deste ano, com as realizadoras e os realizadores, têm lugar na sala 2 da Culturgest. A entrada é livre. Todas as sessões de conversa e debate serão transmitidas em live streaming no Facebook, com a possibilidade do público colocar questões através do chat da live.
Aqui seguem os horários para as conversas programadas:


28 de Agosto

17h30 Alejandro Salgado (Barzaj) + Luis Lopez Carrasco (El Año del Descobrimiento)

Moderação: Inês Lima Torres

18h10 Alassane Sy (actor Nafi’s Father) + Rita Macedo

Moderação: Mickaël Gaspar

30 de Agosto

16h50 CW Winter + Anders Edström (The Works and the Days)

Moderação: Nina Veligradi

17h00 Stefano Canapa (Further Radical) + Ana Vaz (Apiyemiyeki?) + Louis Henderson (Ouvertures)

Moderação: Carlos Natálio

17h40 Rui Poças (Si yo fuera el invierno mismo) + Lois Patiño (Lúa Vermella) + Eleonore Weber (Il n’y a plus de nuit)

Moderação: Anastasia Lukovnikova

18h20 Sergio da Costa + Maya Koza (L’île aux Oiseaux)

Moderação: Mickaël Gaspar

31 de Agosto

16h00 Clara Jost (Meine Liebe)  + Pedro Neves Marques (A Mordida)

Moderação: Ana Cabral Martins

Intervalo 16h30-16h40

16h40 Flávio Gonçalves (Errar a Noite) + Afonso e Bernardo Rapazote (Corte) + João Fazenda (Mesa)

Moderação: Margarida Moz

Intervalo 17h10-17h20

17h20 Cláudia Ribeiro (Entre Leiras) + Lúcia Pires (A Rainha)

Moderação: Ana Cabral Martins

Intervalo 17h50-18h00

18h00 Bernardo Lopes (Moço) + Basil da Cunha (O Fim do Mundo) + Júlio Alves (A Arte de Morrer Longe)

Moderação: Carlos Natálio

Intervalo 18h30-18h40

18h40 Maria Mire (Parto sem Dor) + Catarina Mourão (Ana e Maurizio) + Catarina Vasconcelos (A Metamorfose dos Pássaros)

Moderação: Inês Lima Torres

3 de Setembro

16h00 Matteo Moeschler (Abissu) + Rodrigo Díaz (Fiebre Austral) + Mário Valero (Rodeo) + Domenico Centrone (The Memory Atlas)

Moderação: Margarida Moz

16h30 David Pinheiro Vicente (O Cordeiro de Deus) + Rodrigo Díaz (Fiebre Austral) + Isabel Pagliai (Tendre)

Moderação: Duarte Coimbra

17h00 Arthur Vermorel (Seabird) + Luís Soares (Suspensão) + Chloé Terren (Avant notre heure)

Moderação: Margarida Moz

Dia 29 de Agosto o IndieJúnior traz-nos uma Festa ao Ar Livre e uma Sessão Especial!

No dia 29 de Agosto, sábado, o IndieJúnior acorda com a sessão de cinema – Crescer a  Brincar! – a abrir as salas do Cinema São Jorge às 11h15 para maiores de 3 anos! O Cinema Ideal também recebe os mais novos (+12 anos)  com a sessão – Levantar a Voz! –  programada por alunos do 9º ano da escola Dona Filipa de Lencastre no âmbito da actividade educativa “Eu Programo um Festival de cinema”.

Às 15h30 chega-nos um programa especial do IndieJúnior – Dia da Família.
Uma Tarde Famílias IndieJúnior que conta com uma sessão especial de curtas metragens – Tudo em Família – no Grande Auditório Culturgest, para depois passar-mos para a Festa ao Ar Livre no Jardim do Palácio das Galveias às 16h30!

A partir do filme Pássaros, de Célia Rivière, inspirado no álbum de Germano Zullo e Albertine com o mesmo nome, nasce a oficina de expressão plástica e arte criativa Sonhos Aéreos Orfeu Negro, que acontecerá então no Jardim do Palácio Galveias, desenvolvida em parceria com a editora . Este dia em família contará também com outros jogos inspirados na restante programação, DJ set e pista de dança.
*Estas oficinas já se encontram esgotadas, no entanto é possível adicionar reservas à lista caso haja desistências.
(Entrada Livre)

Tudo em Família

Esta sessão de filmes que se agrupam sobre histórias familiares, é uma sessão especial  de curtas metragens com locução de Pedro Cardoso, que se insere no Dia da Família. A sessão tem início às 15h30  e tem a duração de 45′.

Festa ao Ar Livre

Depois da sessão Tudo em Família*, começa a festa ao ar livre do IndieJúnior para miúdos e graúdos das 16h30 às 19h00 . Oficinas em parceria com a editora Orfeu Negro, jogos inspirados na programação do IndieJúnior, DJ set e pista de dança, serão algumas das propostas numa tarde que promete ser muito animada. Todas as actividades são gratuitas mas de participação limitada.
Todas as actividades e sessões terão as devidas medidas de segurança e higienização.

*Esta sessão faz parte da competição do IndieJúnior

Entre os dias 25 de Agosto e 5 de Setembro voltamos à grande festa do cinema, propondo um mundo cheio de ideias projectadas no grande ecrã. Senta-te confortavelmente na sala de cinema, aperta o cinto, vamos viajar!

Conheça os Júris do Festival

Chegou a altura de conhecer o júri que vão estar presentes em cada secção!

Na Competição Internacional de Longas-Metragens, o júri é constituído por Caroline Maleville, responsável pela programação da Cinemateca Francesa desde 2009, que organiza também reuniões regulares dedicadas à criação cinematográfica contemporânea jovem; Cristina Nord, crítica de cinema, escritora e curadora alemã, e directora do Forum Berlinale desde Agosto de 2019; e Mamadou Ba, activista e militante anti-racista decolonial, dedicado às lutas pelos direitos humanos das pessoas racializadas e migrantes.

Atribuem O Grande Prémio de Longa-Metragem Cidade de Lisboa, no valor de 15.000 Euros e o Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries, o qual equivale a aquisição dos direitos do filme para Portugal.
Na Competição Internacional de Curtas-Metragens, o júri é constituído por Joana Pimenta, realizadora portuguesa, actualmente directora interina do Film Study Center da Universidade de Harvard, e directora de estudos do programa de doutoramento em Critical Media Practise; Jorge Jácome, realizador de cinema, tendo o seu último filme Past Perfect (2019) sido o vencedor Grande Prémio de Curta Metragem da Competição Internacional do IndieLisboa e Melhor Filme no Festival de Hamburgo; e Nuno Rodrigues, co-fundador do Curtas Vila do Conde, e director e coordenador da Galeria Solar desde 2005.

Na Competição Nacional, o júri é constituído por Louise Rinaldi, programadora no festival Premiers Plans-Angers desde 2019; o realizador e produtor Michael Wahrmann; Núria Cubas, que se destaca como professora pela sua participação regular nas (R)evoluciones, um curso do LAV, Laboratorio AudioVisual de Criação e Práticas Contemporâneas.

Na Competição dos Novíssimos, o júri é constituído por André Miguel Ferreira, que frequenta actualmente a Pós-graduação em Fotografia e (Pós) Cinema, na NOVA — FCSH, e foi o vencedor da Competição Novíssimos na 16ª edição do IndieLisboa, em 2019; Felipe Bragança, cineasta brasileiro, colaborador constante em argumentos de filmes de realizadores como Karim Ainouz, Helvécio Marins Jr. e Marina Meliande; e a cantora moçambicana Selma Uamusse.

Atribuem o Prémio Novíssimos The Yellow Color + Portugal Film, no valor de 2.000 Euros em serviços + promoção e venda do filme vencedor.

Na Competição Silvestre, o júri é constituído por Paulo Cunha, professor de cinema na Universidade da Beira Interior, onde dirige o Mestrado em Cinema, é Doutor em Estudos Contemporâneos pela Universidade de Coimbra, e é também programador do Cineclube de Guimarães e do Curtas Vila do Conde; Marta Lança, jornalista, programadora e produtora e editora do BUALA, portal de pensamento crítico sobre o sul global, que é actualmente doutoranda em Estudos Artísticos na FCSH – UNL; Pedro Borges, que trabalha no negócio do cinema há trinta anos, tomando as rédeas da Midas Filmes desde 2006, e do Cinema Ideal desde 2014, um dos cinemas independente da cidade de Lisboa; Alexandra Ramires, licenciada em 2010 em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa,  que tem trabalhado regularmente em cinema de animação desde 2009; e o pianista, compositor e orquestrador, Filipe Raposo.

Na Competição IndieMusic, o júri é constituído pela realizadora, argumentista e compositora Joana Barra Vaz; Jorge Ferraz, músico-guitarrista, compositor e produtor, fundou e liderou alguns bandas portuguesas underground desde 1983, com destaque para “Santa Maria, Gasolina em Teu Ventre!”; e Pedro Azevedo, programador do Musicbox, director do Festival Alestre e DJ nos tempos livres e, enquanto La Flama Blanca, é o anfitrião do Baile Tropical.

Há também júris não oficiais, que são parceiros do festival, atribuindo prémios consoantes categorias determinadas e com os seus próprios critérios, dentro da programação do IndieLisboa 2020.
Dentro destes, o Júri Amnistia Internacional, composto pelo actor português Ivo Canelas, a jornalista e apresentadora Rita Ferro Rodrigues e Sandra Dias Pereira, membro da direcção da Amnistia Internacional Portugal.

Júri Árvore da Vida, que atribui o prémio Árvore da Vida para Filme Português, é composto por Inês Gil, cineasta e professora de cinema; Helena Valentim, professora do Departamento de Linguística da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; e Padre António Pedro Monteiro, secretário provincial dos Dehonianos em Portugal, capelão hospitalar.

E o Júri do Público, que avaliará a Competição Internacional, Competição Nacional, Silvestre, Novíssimos, IndieJúnior, Boca do Inferno.

Sessões ao Ar Livre

O IndieLisboa está quase a começar, e com ele o culminar do Verão e, excepcionalmente este ano, também uma preocupação pós-quarentena de querer permanecer ao ar livre.

As sessões ao ar livre acontecem nas habituais salas da Cinemateca Portuguesa e no Capitólio. De filmes da secção da Boca do Inferno, passando pela Competição Internacional , pela secção Silvestre, chegando até ao IndieMusic. Também na esplanada da Cinemateca, já um lugar de culto de Verão para todos os cinéfilos, acontecerão várias sessões ao ar livre, várias delas das retrospectivas Ousmane Sembène e 50 Anos Forum Berlinale. Nenhum outro local na cidade de Lisboa podia receber a projecção na tela ao ar livre de Moolaadé.

No universo do IndieJúnior, também haverá cinema ao ar livre e, neste caso, pela primeira vez. Serão duas as sessões ao ar livre. Para os mais novos, há a sessão Tudo em Família (+3 anos), composta por oito curtas-metragens para os mais pequenos, e que conta mais uma vez com a locução de Pedro Cardoso. Para um público mais infanto-juvenil, passará a longa-metragem de Edmunds Jansons, Jacob, Mimmi e os Cães Falantes, um filme sobre um rapaz que, com a ajuda da sua prima mandona e de uma matilha de cães locais, embarcam num projecto para não deixar que um ganancioso homem de negócios transforme um parque local num arranha-céus.

Sessões Capitólio

Dreamland | Bruce McDonald, Ficção 2019 92’

Depois de Pontypool ou This Movie Is Broken (IndieLisboa 2011), o humor distópico e a coolness violenta de Bruce McDonald estão de volta. Nesta dreamland, os vampiros modernos convivem com as lendas de jazz e os dedos mindinhos são um “bem” quase tão precioso quanto as inocentes meninas para casamentos de arromba. O genial Stephen McHattie, secundado por Juliette Lewis e Henry Rollins, são os actores deste sangrento e moderno conto de fadas.

Qua. 21h30 | 26 de Agosto |  Comprar

 

Baamum Nafi | Mamadou Dia, Ficção 2019 109’

A primeira longa de Mamadou Dia chega-nos duplamente premiada no Festival de Locarno (Leopardo de Ouro Cineastas do Presente e Melhor Primeiro Filme). Rodado na sua cidade natal, Matal no Senegal, esta é a história de dois irmãos, Tierno e Ousmane, que se zangam por causa do casamento dos seus dois filhos. O primeiro quer casar o seu rapaz com a filha do segundo, a bela Nafi. O que está em causa é o alastrar do fundamentalismo numa pequena comunidade.

Qui. 21h30 | 27 de Agosto |  Comprar

 

The Other Lamb | Malgorzata Szumowska, Ficção 2019 97’

Estamos no seio de uma comunidade muito singular. Um homem, conhecido como o Pastor, e o seu rebanho, composto por um conjunto de mulheres que o seguem, adoram e para ele trabalham. A fazer lembrar obras como The Handmade’s Tale (Bruce Miller) ou The Village (M. Night Shyamalan), a realizadora polaca Malgorzata Szumowska procura refletir sobre os rituais separados da civilização, mas sobretudo a lógica da dominação masculina sobre o mundo feminino.

Dom. 21h30 | 30 de Agosto |  Comprar

 

Greener Grass | Dawn Luebbe, Jocelyn DeBoer, Ficção 2019 95’

Ahh…os subúrbios americanos com suas taras e manias. DeBoer e Luebbe – argumentistas, realizadoras e actrizes do filme – fazem-nos entrar nesse mundo habitado por ferozes soccer moms, adultos de aparelho nos dentes, roupas rosinhas ou azulinhas a condizer, intercâmbio de bebés, cãezinhos e crianças, carros de golfe e jogos de futebol. Nesta deliciosa dark comedy em tons garridos parece que David Lynch acasalou com Wes Anderson e deram à luz este filme.

Seg. 21h30 | 31 de Agosto |  Comprar

 

White Riot | Rubika Shah, Jocelyn DeBoer, Ficção 2019 80’

No final dos anos 70, a Frente Nacional Britânica defendia posições xenófobas de extrema direita. Como resposta nasceu um elemento central do punk rock britânico, o movimento anti-racista Rock Against Racism. O filme de Rubika Shah retrata o surgimento desse movimento, sob o impulso do fotógrafo de música Red Saunders, e ao qual se juntariam bandas como The Clash ou Sham 69, num momento em que uma geração desafiava o status quo através da música..

Ter. 21h30 | 1 de Setembro |  Comprar

 

Overseas| Sung-a Yoon, Documentário 2019 90’

Numa escola filipina as alunas aprendem a fazer as tarefas domésticas e a cuidar de bebés. O objectivo é serem contratadas para trabalhar em casas no estrangeiro. Mas aprendem mais do que isso. Como lidar com a agressão verbal de uma patroa descompensada? Como reagir a um assédio sexual? Como suportar a distância e a saudade dos filhos que ficaram nas Filipinas? Este é um filme que reflete sobre a escravatura moderna num mundo globalizado.

Qua. 21h30 | 2 de Setembro |  Comprar

 

Show Me the Picture: The Story of Jim Marshall| Alfred George Bailey, Documentário 2019 92’

Muito do que conhecemos da mitologia musical e contracultura dos anos 60 devemos às imagens e ao talento fotográfico de Jim Marshall. São dele algumas das fotografias mais conhecidas de músicos como Bob Dylan ou The Rolling Stones. E ainda momentos marcantes como o último concerto dos The Beatles, os concertos de Johnny Cash na prisão de Folsom ou Jimi Hendrix a queimar a sua guitarra. Esta é a crónica de vida de um artista ímpar, do lado de cá da sua câmara.
Qui. 21h30 | 3 de Setembro |  Comprar

 

Tudo em Família| Toda a Família, 45′ (+3 anos)

Sex. 21h90 | 4 de Setembro |  Comprar

 

Jacob, Mimmi e os Cães Falantes
Edmunds Jansons 
| Edmunds Jansons, Animação 2019 70’

Jacob vive na cidade e sonha em ser arquitecto como o seu pai. Um dia, quando este tem de viajar em trabalho, Jacob vai passar uma semana com a prima Mimmi e o seu pai. Eles vivem num subúrbio da capital da Letónia, Riga. Lá tudo parece diferente e mais calmo. Quando as crianças percebem que o parque vai ser destruído e no seu lugar vão construir altos edifícios, vão tentar travar as obras. E recebem a preciosa ajuda de uma matilha de cães especiais.

Sáb. | 21h00 | 5 de Setembro |  Comprar

 

Sessões Cinemateca Portuguesa

Forum 50 & Ousmane Sembène: O cinema como forma de reflexão e acção política  | 90’

Qui. 18h00 | 27 de Agosto 

 

Ceddo  | Ousmane Sembène, Ficção 1977, 109’

Ceddo é o nome dado aos últimos detentores do espiritualismo africano antes da chegada do islamismo e cristianismo. Numa aldeia senegalesa do séc. XVII, o rei Demba War cede às pressões do líder islâmico e os ceddo raptam a sua filha para prevenir a conversão forçada à nova religião. Este “micro épico”, como foi apelidado, foi à época censurado e conta-se que Sembène distribuía, à saída dos cinemas, panfletos que descreviam as cenas removidas.

Qui. | 21h30 | 27 de Agosto 

 

Guelwaar  | Ousmane Sembène, Ficção 1992, 115’

Esta comédia de enganos começa com a morte de Guelwaar (que significa “o nobre”), padre e ativista católico. Quando a família vem reclamar o corpo à morgue apercebe-se que este desapareceu e que foi enterrado por engano num cemitério muçulmano. Sátira a uma África atolada pelos pequenos conflitos, por uma burocracia paralisante e pelos dogmas e crenças religiosas em confronto. A ironia fina e os pequenos detalhes revelam toda a mestria de Sembène.

Sex. | 21h30 | 28 de Agosto

 

Emitaï | Ousmane Sembène, Ficção 1971, 103’

Durante a 2ª Guerra Mundial, as forças colonialistas francesas do governo de Vichy requisitam o bem mais precioso que têm os habitantes da aldeia senegalesa de Efock: o arroz. A minoria étnica dos Diola reorganiza-se para a resistência: enquanto os anciãos rezam a Emitaï, o Deus do trovão, as mulheres, mais pragmáticas, escondem a colheita. Esta história de silenciosa resistência esteve censurada 5 anos após a sua estreia em toda a África francófona.

Sáb. | 21h30 | 29 de Agosto 

 

Faat Kiné | Ousmane Sembène, Ficção 2001, 120’

Quase uma década após o seu último filme, Sembène assina o que seria o primeiro volume de uma planeada trilogia sobre o heroísmo quotidiano da mulher africana. Faat Kiné é mãe solteira numa Dakar moderna, plena de contradições e aspirações de mudança. Vive com os seus dois filhos, de dois ex-maridos, tendo de lidar não apenas com a pressão social da sua condição, mas também lutar pelas suas aspirações profissionais num mundo dominado pela condição patriarcal.

Sáb. | 21h30 | 31 de Agosto

 

W.R. – Misterije Organizma | Dušan Makavejev, Ficção, 84’

Ter. | 21h30 | 1 de Setembro

 

Eldrige Cleaver, Black Panther | William Klein, Documentário 1970, 75’

Após acusação de uma tentativa de assassinato, Eldrige Cleaver, militante do movimento Black Panther Party, exila-se na Argélia. O realizador e fotógrafo William Klein fará aqui o retrato de um homem multifacetado, escutando o seu discurso ativista sobre a revolução, a luta na América, os seus rivais políticos, como Nixon ou Reagan. Mas esta é também uma obra além da ideologia, o retrato de um revolucionário romântico, num exílio lírico e comovente.

Ter. | 21h30 | 3 de Setembro

Camp de Thiaroye | Ousmane Sembène, Ficção 1988, 157’

Talvez a grande obra-prima de Ousmane Sembène e o grito mais intenso de condenação das injustiças do colonialismo. No rescaldo da 2ª Guerra Mundial, os soldados senegaleses regressam da Europa e, antes do retorno a casa, são colocados no acampamento militar de Thiaroye. Perante as más condições de acomodação e a redução de pagamento, os soldados revoltam-se e são massacrados às mãos do exército francês. Vencedor do prémio especial do Júri em Veneza.

Sex. | 21h30 | 4 de Setembro

 

Moolaadé | Ousmane Sembène, Ficção 2004, 124’

O último filme de Sembène e segundo de uma planeada trilogia sobre o heroísmo da mulher africana. Numa pequena vila senegalesa, Collé Ardo, a segunda mulher de um próspero agricultor, prepara o casamento de sua filha. Eis que resolve acolher quatro meninas que procuram refúgio na sua casa para escapar ao ritual de “purificação”, que consiste na sua excisão genital. Tal atitude inicia um conflito que divide irremediavelmente os membros da sua comunidade.

Sábado. | 21h30 | 5 de Setembro

 

A app oficial do festival também já pode ser descarregada, o que possibilitará a calendarização de sessões que se queira ver e personalizar a experiência do festival na palma da mão com acesso a notícias e informações adicionais dos filmes. Acede já em indielisboa.com/app.

O festival tem também um Whatsapp este ano, onde poderás não só tirar dúvidas, mas ter alguém do outro lado que te ajudará a navegar pelo programa. Pergunta-nos o que ver, dar-te-emos dicas de filmes!

IndieLisboa ‘20 a aquecer no terraço da Casa do Capitão

O IndieLisboa está mesmo mesmo aí! Num caldo tão pensante como divertido, preparamo-nos para doze dias de festival, com uma matiné apontada para o próximo dia 23 de Agosto, Domingo, em signo de descoberta pela programação do festival deste ano, no terraço da Casa do Capitão, com início às 14h, espaço no Hub Criativo do Beato (HCB), inaugurada no passado dia 13 de Agosto, que se situa na Rua do Grilo 119.

Vamos aquecer para mais um início de festival e as suas muitas horas alucinantes de filmes na sala e ao ar livre, conversas, oficinas e muito mais, começando com uma revisitação da playlist do IndieMusic ao longo dos anos – das 14h às 16h30, e continuando pela tarde fora até às 18h15 com um DJ set da dupla de realizadores, David Pinheiro Vicente, realizador do filme O Cordeiro de Deus, presente na competição internacional e nacional de curtas do IndieLisboa 2020, e Duarte Coimbra, programador do festival e realizador do filme Amor, Avenidas Novas, na competição internacional e nacional de curtas do IndieLisboa 2018.

Com o nascer da noite, e entre as 18h30 e as 19h30, haverá um concerto do sexteto feminino Lantana, uma das bandas em foco no documentário Caos e Afinidade, um filme sobre a música improvisada portuguesa, em competição na secção IndieMusic do IndieLisboa 2020. Espelhando a programação do festival e o mood puramente celebratório desta 17ª edição, viajaremos a 6 mãos pelos sons do IndieMusic deste ano e suas variadas influências com um DJ set de três dos programadores da secçãoCarlos Ramos, Filipa Henriques e Helena César – sob a luz de um luar que acentua não só a nota de entusiasmo, mas também de carinho por esta edição resistente que está a caminho.

Os bilhetes para a festa que antecipa o arranque da 17ª edição do IndieLisboa podem ser adquiridos na BOL por 5 euros para o concerto, e por 2 euros para cada DJ Set, mediante reserva prévia para reservas@casa-capitao.com (todas as sessões após as 20h pressupõem consumo de jantar).

O IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema decorre entre os dias 25 de Agosto a 5 de Setembro no Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa e Capitólio. Toda a programação poderá ser consultada em www.indielisboa.com ou na app oficial do festival em indielisboa.com/app

 

Filmes para pensar sobre a sexualidade na 17ª edição do IndieLisboa

A edição deste ano do IndieLisboa volta a olhar de perto temáticas próximas à comunidade LGBTQIA+, chegando também ao reino dos mais pequenos no IndieJúnior.

Em Nicht der Homosexuelle ist pervers, sondern die Situation, in der er lebt (It is not the Homosexual who is Perverse, but the Society in which he lives), filme de Rosa von Praunheim que se tornou uma obra fundamental do cinema político, Daniel regressa da província para a cidade e testemunhamos a sua passagem por diferentes subculturas gay, onde som é finalmente providenciado a vozes que apenas sobreviviam no silêncio. O filme, presente na retrospectiva que celebra os 50 anos do Forum da Berlinale, onde surgem várias respostas a muitas perguntas que ficaram sem resposta durante demasiado tempo e que o IndieLisboa tenta agora levar a todos, atingiu o seu auge enquanto um filme de transição de tempos dois anos após a abolição da Secção 175 do Código Criminal que criminalizava a homossexualidade na Alemanha. Para ver no dia 31 de Agosto, na Cinemateca, às 19h.

Presente na Competição Nacional este ano encontram-se duas curtas-metragens, Errar a Noite, de Flávio Gonçalves, – para ver no dia 28 de Agosto, no Cinema São Jorge, às 21h45 ou no dia 3 de Setembro, no Cinema São Jorge, às 21h30 – e A Mordida, de Pedro Neves Marques, – no dia 31 de Agosto, na Culturgest, às 18h45 ou no dia 4 de Setembro, no Cinema São Jorge, às 21h30 – que se aproximam da anatomia humana através de narrativas que, de formas diferentes, falam do holístico por trás da intimidade e reprodução humanas, o lirismo do ser.

Desta mesma forma, deparamo-nos com Rizi, a mais recente balada de Tsai Ming-Liang, que nas palavras de Francisco Ferreira para o Expresso “é extraordinário (…) um filme sem palavras, com dois corpos que se atraem contra a solidão.” e um filme que, de forma literal não necessita de palavras para se expressar na sua ausência de diálogo e por consequência, de legendas – para ver no dia 30 de Agosto, no Cinema São Jorge, às 18h ou 4 de Setembro, no Cinema São Jorge, às 21h45.

Também presente na secção Silvestre do IndieLisboa, a secção que evidencia vozes autorais poderosas, potenciando o eco que já existe em cada uma delas, o filme de José Luis Torres Lleiva, Vendrá la Muerte y Tendrá tus Ojos, um casal de duas mulheres juntas há muito tempo deparam-se com uma doença terminal que se intromete na plenitude das suas felicidades – para ver no dia 30 de Agosto, na Culturgest, às 19h15.

Ainda na secção Silveste, A Mentira, de Rafael Spínola, uma viagem ao arquivo na procura por detalhes fundadores da Stasi, a polícia secreta da República Democrática Alemã, das agências de inteligência mais repressivas que já existiram. E Ink in Milk, de Gernot Wieland, sobre como a existência de um ser baseia-se na teia de acontecimentos, acções e reacções ao longo do tempo. Traumas e celebrações. Noutras palavras, como a tinta cai no leite e mancha tudo demasiado rápido, deixando sempre vestígios. Ambos filmes podem ser vistos no dia 26 de Agosto, na Culturgest, às 19h15.

No quadro colorido de vozes do IndieJúnior, deparamo-nos com um documentário, Beleza, de Christina Willings, sobre cinco crianças que lutam por viver autenticamente com aquilo que sentem ser a sua identidade de género, que integra a sessão Levantar a Voz! do IndieJúnior, para um público mais infanto-juvenil a partir dos 12 anos de idade – para ver no dia 29 de Agosto, no Cinema Ideal, às 11h30 ou no dia 5 de Setembro, no Cinema São Jorge, às 11h30.

No foco Mati Diop, encontramos Snow Canon, da realizadora franco-senegalesa, que se debruça no crescimento de Vanina, uma adolescente francesa – para ver no dia 28 de Agosto, na Culturgest, às 21h45. Nesta travessia pelo desconhecido, encontramos também Aleteia, uma jovem estudante latina, que procura prosseguir os seus estudos universitários em Los Angeles, numa América divisória, em La Leyenda Negra, da portuguesa Patricia Vidal Delgado, na que é a única longa-metragem dos Novíssimos, secção dos jovens cineastas – para ver no dia 29 de Agosto, no Cinema São Jorge ás 15h30 ou dia 31 de Agosto, no Cinema São Jorge às 18h45. Também nos Novíssimos, Club Splendida, um filme de Caio Amado Soares, que define o filme como uma “série web de ficção científica queer-camp”, no qual cinco amigos constroem uma nave e partem em busca de Club Splendida, algures no espaço – para ver no dia 26 de Agosto, no Cinema São Jorge, às 19h.

Em 2050, o mundo está prestes a acabar numa nuvem cor-de-rosa e o filme de Henrique Arruda, Os Últimos Românticos do Mundo, propõe que aconteça em signo de festa, exuberante, arrojado, causando disrupção. A curta-metragem está presente na Competição Internacional – para ver no dia 3 de Setembro, na Culturgest, às 19h15. Também na Competição Internacional, Toomas Beneath the Valley of Wild Wolves, um filme de animação de Chintis Lundgren, sobre como um pai lobo desempregado se torna num gigolô para manter a sua família – para ver no dia 1 de Setembro, na Culturgest, às 19h.

Na secção do IndieMusic, é-nos contada a história de Beverly Glenn-Copeland, o músico negro transexual, pelo próprio. Da solitária década de 60 até à alegria de conseguir testemunhar o presente, o documentário emocionante de Posy Dixon, Keyboard Fantasies: The Beverly Glenn- Copeland Story, debruça-se no talento do homem que começou a escrever música sobre a experiência queer numa altura em que relações entre o mesmo sexo eram ilegais, as vidas trans eram escondidas e estigmatizadas e o movimento dos Direitos Humanos nos EUA estava prestes a irromper – para ver no dia 1 de Setembro, no Cinema São Jorge, às 19h15.

Cinema ao Ar Livre na 17ª Edição do IndieLisboa

Faltam apenas duas semanas para o IndieLisboa, e com ele o culminar do Verão e,
excepcionalmente este ano, também uma preocupação pós-quarentena de querer
permanecer ao ar livre. 
Uma sala é assim acrescentada às demais habituais (Culturgest, Cinema São Jorge, Cinema
Ideal, Cinemateca Portuguesa): o Capitólio, onde haverá sessões ao ar livre. De filmes
da Boca do Inferno – um deles Dreamland, onde o humor distópico e a coolness violenta de
Bruce Macdonald é exemplificado – passando pela Competição Internacional – Baamum Nafi,
a primeira longa-metragem do senegalês Mamadou Dia será um deles -, pelo Silvestre –
com Overseas, um filme que reflecte sobre a escravatura moderna num mundo globalizado -,
e chegando até ao IndieMusic – White Riot,  sobre o surgimento do movimento anti-racista Rock
Against Racism, e Show Me the Picture: The Story of Jim Marshall, um mergulhar na
mitologia musical e contracultura dos anos 60 através das reconhecidas imagens do fotógrafo
Jim Marshall.

Também na esplanada da Cinemateca, já um lugar de culto de Verão para todos os cinéfilos,
acontecerão várias sessões ao ar livre, várias delas das retrospectivas Ousmane
Sembène e 50 Anos Forum Berlinale.
Nenhum outro local na cidade de Lisboa podia receber a projecção na tela ao ar livre
de Moolaadé, que nas palavras da  directora e programadora Mafalda Melo “dignificam e
homenageam a mulher senegalesa moderna e livre”, ou de Elridge Cleaver, Black Panther, o
retrato de realizador e fotógrafo William Klein de Cleaver, um militante do movimento Black
Panther Party, uma obra que transcende a ideologia e é um olhar próximo sobre um
revolucionário romântico, num exílio líricos e comovente.

No universo do IndieJúnior, também haverá cinema ao ar livre e, neste caso, pela primeira
vez.
Serão duas as sessões ao ar livre. Para os mais novos, há a sessão Tudo em Família (+3 anos),
sessão esta que se repete (depois da sessão na Culturgest no dia 29 de Agosto às 15h30) e que
é composta por oito curtas-metragens para os mais pequenos, e que conta mais uma vez com a
locução de Pedro Cardoso – acontece no dia 4 de Setembro no Capitólio às 21h. Para um
público mais infanto-juvenil, passará a longa-metragem de Edmunds Jansons, Jacob, Mimmi e
os Cães Falantes, um filme sobre um rapaz que, com a ajuda da sua prima mandona e de uma
matilha de cães locais, embarcam num projecto para não deixar que um ganancioso homem de
negócios transforme um parque local num arranha-céus, também no Capitólio, no dia 5 de
Setembro às 21h.

A 17.ª edição do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema decorre entre os dias 25 de
Agosto a 5 de Setembro no Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal e na Cinemateca
Portuguesa e Capitólio. Toda a programação poderá ser consultada
em www.indielisboa.com e os bilhetes podem ser comprados na Ticketline ou nas bilheteiras
físicas do festival.

A app oficial do festival também já pode ser descarregada, o que possibilitará a calendarização
de sessões que se queira ver e personalizar a experiência do festival na palma da mão com
acesso a notícias e informações adicionais dos filmes. Acede já em indielisboa.com/app.

O festival tem também um Whatsapp este ano, onde poderás não só tirar dúvidas, mas ter
alguém do outro lado que te ajudará a navegar pelo programa. Pergunta-nos o que ver, dar-te-
emos dicas de filmes!

Sócios Gerador – 20 % de Desconto

Nesta edição, à semelhança do ano passado, os Sócios Gerador têm acesso a 20% de desconto na bilheteira do festival, na compra de bilhetes para as sessões de cinema nas salas principais: Cinema São Jorge, Culturgest e Cinema Ideal. Em vez de 4,50 eur por sessão, pagam apenas 3,50 eur.

Para usufruir do desconto basta apresentares o teu Cartão Sócio Gerador na bilheteira, no ato da compra.

Já conhece as medidas de segurança adoptadas para esta edição?

Este ano o festival obedece a algumas medidas de segurança dentro das salas oficiais, sendo elas:

– Lotação das salas reduzidas a 50% com espaçamento obrigatório entre lugares ocupados
– Higienização das salas no fim de cada sessão
– Obrigatoriedade do uso de máscara em espaços fechados, com excepção do momento das apresentações das sessões em que o orador não precisa de máscara enquanto estiver a falar
– Obrigatoriedade de máscara pelos espectadores nas sessões.
– Criação de zonas de entrada e saídas diferenciadas nas salas
– Limitação de permanência nos foyers das salas.
– Permitida apenas a circulação para compra de bilhetes e entrada e saída das salas
– Disponibilização de gel desinfectante nos espaços e limpeza regular dos mesmos.

Acreditações para o IndieLisboa 2020 disponíveis para Imprensa

INSCRIÇÃO

Estão abertos os pedidos de acreditação de imprensa para o IndieLisboa – 17.º Festival Internacional de Cinema, que decorre de 25 de Agosto a 5 de Setembro. A acreditação é pessoal, intransmissível e garante acesso a todas as sessões do festival (sujeito a disponibilidade de lugares, excepto cerimónia de abertura e algumas sessões especiais), e é dirigida exclusivamente a profissionais da comunicação social.

A totalidade da programação já foi anunciada no passado dia 28 de Julho. Confira aqui os filmes anunciados e mais informações das sessões.

Para fazer o pedido de acreditação deverá registar-se na nossa base de dados.

Instruções de registo:
1. aceder ao link indielisboa.com/vp
2. criar um login, aguardar o email de confirmação e preencher a informação necessária ao registo, sem esquecer uma fotografia
3. posteriormente terá que enviar o seu pedido seleccionando o tipo de acreditação que se aplica ao seu caso na secção “Accreditation/Acreditação”.

ATENÇÃO:
– O seu pedido só é válido se concluir os 3 passos indicados acima. Assim que enviar o pedido receberá um email automático.
– A emissão de acreditações é da responsabilidade do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema e o envio de um pedido não garante a acreditação.

CALL FOR ENTRIES 2021! Inscrições Abertas

Encontramo-nos na 17.ª edição do IndieLisboa e já estamos em preparação para a 18.ª edição em 2021, que terá lugar de 29 de Abril a 9 de Maio. Para tal, queremos ver os vossos filmes e deixamos o convite para nos enviarem as vossas produções mais recentes (2020 ou a terminar em 2021), que não tenham sido exibidas publicamente em Portugal. O envio pode ser feito até dia 23 de Dezembro e o regulamento e o formulário de inscrições estão disponíveis aqui.

Inscrições de filmes

O objectivo principal do festival é a divulgação do melhor e mais recente cinema independente de todo o mundo. A sua programação assenta em diversas secções: Competição Internacional, Competição Nacional, Silvestre, Novíssimos, Herói Independente, IndieJúnior, IndieMusic, Director’s Cut, Boca do Inferno e Sessões Especiais.

Relembramos que a Competição Internacional do festival se destina a primeiras, segundas e terceiras obras. As outras secções competitivas são: Competição Nacional (curtas e longas metragens portuguesas), Silvestre, Novíssimos (curtas metragens de novos cineastas portugueses), IndieJúnior (curtas e longas metragens para o público infanto-juvenil) e IndieMusic. O prémio do público é transversal à maioria das secções.