Destaques do último fim de semana de IndieLisboa

O último fim de semana do IndieLisboa chegou e há muitas razões para continuar a celebrar o cinema, com dois dias repletos de sessões e obras que vão marcar a edição deste ano. Eis alguns destaques:

John Parish: Screenplay – Cine-Concerto
21h30 | Sexta 4 de Maio | Culturgest

Pela primeira vez em Portugal, o filme-concerto do músico John Parish, Screenplay, faz parte da programação do IndieLisboa 2018.

O concerto apresenta Parish, juntamente com os músicos Marta Collica, Giorgia Poli, Jean-Marc Butty and Jeremy Hogg, e uma projecção de excertos de filmes, alguns deles com uma íntima ligação à história da programação do IndieLisboa.

Bostofrio, où le ciel rejoint la terre, de Paulo Carneiro (Competição Nacional)
21h30 | Sexta 4 de Maio | Cinema São Jorge

Bostofrio é uma pequena aldeia no concelho de Boticas, distrito de Vila Real. É de lá que vem a família de Paulo Carneiro (colaborador habitual de João Viana e assistente de realização deOur Madness).Bostofrioé composto por uma série de entrevistas, tão íntimas quanto divertidas, nas quais é o próprio realizador que se implica na acção e questiona os habitantes (muitos deles, seus familiares) sobre quem era, e como era, o seu avô. Nesta investigação, que simultaneamente observa os gestos do trabalho enquanto puxa pela língua das gentes, levanta-se o véu de uma ruralidade ainda cheia de segredos e meias verdades.

Betty, They say I’m Different, de Phil Cox (IndieMusic)
21h45 | Sábado 5 de Maio | Culturgest

A rainha do funk, Betty Davis, alterou o paradigma artístico para as mulheres. Como disse Miles Davis, “ela foi a primeira. Madonna antes de Madonna”. Betty escancarou as fronteiras bem delimitadas dos anos 70 com a sua ousada personalidade, estilo icónico e som arrebatador. Apesar de banida e boicotada, foi a primeira mulher negra a cantar, escrever e produzir as suas próprias músicas. Pioneira feminista e inspiradora como nenhuma mulher fora antes, este é o retrato de um percurso com origens humildes que termina na incompreensão.

Mabata Bata, de Sol de Carvalho (Sessões Especiais)
21h45 | Sábado 5 de Maio | Cinema São Jorge

Baseado no conhecido conto de Mia Couto escrito em 1986, O Dia Em Que Explodiu Mabata Bata, esta é a adaptação do realizador Sol de Carvalho (produtor de Our Madness, presente na Competição Nacional) da história de Azarias, um jovem pastor órfão que um dia vê o seu melhor boi, Mabata Bata, explodir devido a uma mina terrestre deixada pelos combatentes da guerra que decorre no país. Este terrível acontecimento espoleta uma fuga para a floresta (por o rapaz temer represálias) seguido de um resgate, por parte da avó e do tio, que o tentam convencer a voltar.

Baronesa, de Juliana Antunes (Competição Internacional)
22h | Sábado 5 de Maio | Cinema Ideal

Baronesa oferece um olhar raro sobre a favela: o ponto de vista feminino. Um filme de mulheres, sobre mulheres que vivem em bairros com nome de mulher (Leidiane e Andreia vivem em “Juliana” mas a última quer mudar-se para a “Baronesa”). Segundo a realizadora: “É a mulher olhando para a mulher sem as tintas da delicadeza, do sentimental e toda aquela moldura edulcorada da tal e tradicional feminilidade”. A obra de estreia da Juliana Antunes foi galardoada em diversos festivais e considerada a melhor primeira obra de 2017 por um conjunto de 135 programadores, críticos e cineastas de todo o mundo.

Grass, de Hong Sang-soo (Silvestre)
23h30 | Sábado 5 de Maio | Cinema São Jorge

Desde a última vez que o IndieLisboa exibiu um filme de Hong Sang-soo (Nugu-ui ttal-do anin Haewon, em 2014), o realizador sul coreano tornou-se muito popular. As suas comédias tristes, embebidas em soju,descobriram o público internacional e a sua prolífica produção (quatro longas no último ano) ajudaram essa visibilidade. Grass é uma comédia de enganos à mesa de um café de Seul: os casais fazem-se e refazem-se ao ritmo do olhar da protagonista – interpretada pela musa do realizador, Kim Min-hee – que sentada a um canto observa o que se vai passando. Uma deliciosa farsa sobre os caminhos tortuosos do amor.

O Processo, de Maria Augusta Ramos (Silvestre)
19h | Domingo 6 de Maio | Cinema São Jorge

O Processo é, como o título anuncia, um filme de tribunal. Um thriller onde o que interessa não é tanto o desfecho (a destituição da presidente Dilma Rousseff), mas sim compreender de que forma se deu o dito “Golpe”. A realizadora Maria Augusta Ramos acompanhou a equipa de defesa da ex-presidente durante meses e o resultado é um documentário que coloca a nu os meandros da judicialização da política. Um olhar observacional que revela as traições e os interesses nos bastidores do Senado e do Congresso, ao som dos gritos de protesto vindos do exterior. O cinema político brasileiro nunca foi tão urgente.

Studio 54, de Matt Tyrnauer (IndieMusic)
21h45 | Domingo 6 de Maio | Cinema São Jorge

Studio 54 é considerada a “melhor discoteca de todos os tempos”. Aberta no dia 26 de Abril de 1977 (e encerrada apenas 33 meses depois, por evasão ao fisco) o seu legado ficou marcado a sexo e drogas na história de Nova Iorque. Um espaço mítico pela máxima liberdade que permitia (no rules), cujo fim coincidiu com as primeiras mortes associadas à pandemia da SIDA e o início da administração Reagan.Studio 54 conta a história das celebridades e da atmosfera do clube, mas também dos dois amigos que alteraram o panorama do entretenimento nocturno da cidade que nunca dorme.

O que não perder no último fim de semana IndieJúnior

Estamos na recta do festival mas ainda existem muitos filmes para ver e muita diversão a encher os dois últimos dias da secção para os mais novos. Aqui ficam os destaques, sessões e eventos que não podem perder no último fim de semana do IndieJúnior.

IndieJúnior – Puzzle de sons – Rádio ZigZag

5 de Maio • 11:00 • Culturgest – Sala 6
6 de Maio • 11:00 • Culturgest – Sala 6

Numa época em que o Mundo nos chega essencialmente através da imagem, nesta oficina vamos trocar a volta aos mais novos exercitando a audição e a imaginação. O nosso desafio é construir histórias e dar palavras a um Puzzle de Sons (O Puzzle de Sons é uma rubrica da Rádio ZigZag). Serão vários puzzles, muitas histórias. Aqui faremos cinema para os ouvidos!

Entrada livre • inscrição necessária • 5–9 anos • Lotação limitada • 90 minutos
Inscrição: radiozigzag@rtp.pt, +351 966 972 870

IndieJúnior – Salada mista com livros e filmes – Bibliotecas de Lisboa (BLX)

5 de Maio 2018 • 11:00 • Cinema Ideal

As BLX dão a conhecer as novidades da sua colecção de literatura infanto-juvenil e propõem uma apresentação descontraída e inspirada nos filmes de animação do IndieJúnior e nas histórias que as crianças mais gostaram.

Entrada gratuita.

Sessão Quotidiano Animalário – Para toda a familia

Sessão Tu cá, Tu Lá – Para toda a família

Sessão Coisas da Vida 2º ciclo/+10 ANO

Histórias do Dia e da Noite +3

IndieJúnior – Bailarico! Uma matiné dançante

Depois da sessão Tu cá, tu lá – Para toda a família no Grande Auditório da Culturgest, nada melhor do que esticar os braços e as pernas num bailarico à maneira, que vai pôr toda a gente a dançar. O que vos espera é uma pista de dança com um DJ set, bebidas refrescantes para ganhar fôlego para a próxima sessão e jogos para partir o gelo entre os bailarinos mais tímidos. Aqui, ninguém fica de fora para celebrar o IndieJúnior!

Entrada gratuita

IndieJúnior – Cidades imaginárias ou cenários para um futuro filme

6 de Maio • 11:00 • Biblioteca Palácio Galveias – Sala de oficinas • 5€

Mr. Frog

6 de Maio • 15:00 • Cinema São Jorge – Sala 3

IndieJúnior – Bichos carpinteiros

6 de Maio • 15:00 • Biblioteca Palácio Galveias – Sala de oficinas • 5€

Os bloquinhos de madeira nesta oficina estão por todo o lado à vossa espera para ganhar vida. Se juntar este e aquele posso inventar um animal, se colar aquele ao outro tenho uma casa mesmo gira e, se martelar estes bocadinhos, faço personagens incríveis. Vem divertir-te e repensar formas e secções de peças de madeira para lhes dares uma nova vida.

Bilhete: 5€ • +3 anos e famílias • Lotação limitada • 45 minutos
Inscrição: hello@volta-oc.pt, +351 932 826 402

Ilhas e Outras Geografias +6

6 de Maio • 16:00 • Culturgest – Grande Auditório

IndieJúnior – Eu faço cartazes de cinema!

6 de Maio • 17:00 • Biblioteca Palácio Galveias – Sala de oficinas  • 5€

Os cartazes de cinema são sempre muito giros e nesta oficina quem os vai fazer és tu. Que elementos colocar? E que cores? Através da impressão em serigrafia a partir de stencil, e com muita imaginação, os cartazes de cinema que vão sair desta oficina prometem ser o sucesso do festival!

5€ • Lotação limitada • 6-12 anos • 60 minutos
Inscrição: hello@volta-oc.pt, +351 932 826 402

Aviso: legendagem de filmes de Jacques Rozier e Pororoca com limitações

As cópias de L’Opéra du Roi (1989, 42’) e Revenez Plaisirs Exilés (2010-2012, 77’) chegaram a Lisboa na véspera da sessão, tornando inviável a tradução e legendagem do segundo título, de que Jacques Rozier disponibilizou uma versão mais longa do que a versão inicialmente prevista, especialmente para esta sessão, que acontece hoje, 4 de Maio, às 21h30, na Cinemateca Portuguesa – Sala Félix Ribeiro.

L’Opéra du Roi é apresentado em versão original com legendas electrónicas em português. Revenez Plaisirs Exilés é apresentado em versão original em francês sem legendas. Entre os dois filmes há um breve intervalo de cinco minutos.

Por fim, a sessão do filme Pororoca de hoje (4 de Maio, Cinema São Jorge MDO, 21h15) também não terá legendas em inglês.