Debates e encontros com Heróis Independentes

São muitos os debates que marcam o IndieLisboa deste ano, no habitual programa LisbonTalks Universidade Lusófona. De 27 de Abril a 4 de Maio, os vários eventos programados terão lugar na Biblioteca Palácio Galveias e na Cinemateca Portuguesa e fomentarão o diálogo em torno de tópicos diversos relacionados com o mundo do cinema.

Será possível o encontro com os Heróis Independentes, Lucrecia Martel (29 de Abril, na Culturgest) e Jacques Rozier (30 de Abril, na Cinemateca Portuguesa), estando ainda previsto um debate sobre as relações entre política e cinema com João Salaviza, Marco Martins, Maria Augusta Ramos e Rüdiger Suchsland (3 de Maio, Biblioteca Palácio Galveias).

Para os profissionais e curiosos do cinema haverá uma masterclass pós-produção de imagem e mistura de som, orientada pelo Walla Collective (27 Abril, na Biblioteca Palácio Galveias), uma aula de cinema com análise do filme Le monde vivant, orientada pelo jornalista e crítico Boyd van Hoeij (30 Abril, na Biblioteca Palácio Galveias) ou uma discussão em torno da programação deste ano com críticos e jornalistas (4 Maio, na Biblioteca Palácio Galveias).

Masterclass pós-produção de imagem e mistura de som
Sex 27 Abril, 16h30, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
120′, em português (entrada livre)

Convidados: Andreia Bertini, António Porém Pires, Bárbara Valentina, Marco Amaral, Miguel Martins, Tiago Matos (Walla Collective), Manuel Santiago, Pedro Motta (PushVFX)

Encontro com Lucrecia Martel moderado por Cláudia Varejão
Dom 29 Abril, 16h30, Culturgest – Pequeno Auditório
90′, em português e espanhol

Moderadora: Cláudia Varejão (realizadora)

Aula de cinema: análise do filme Le monde vivant
Seg 30 Abril, 16h00, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
120′, em inglês (entrada livre)

Convidado: Boyd van Hoeij (crítico/programador)

Encontro com Jacques Rozier moderado por José Manuel Costa e Maria João Madeira
Seg 30 Abril, 18h30, Cinemateca Portuguesa – Sala Luís de Pina
90′, em francês (entrada livre)

Moderadores: José Manuel Costa, Maria João Madeira (Cinemateca Portuguesa)

Por um cinema que dá mais força à liberdade
Qui 3 Maio, 17h00, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
90‘, em inglês (entrada livre)

Moderador: António Rodrigues (Jornal i)
Convidados: João Salaviza (realizador), Marco Martins (realizador/encenador), Maria Augusta Ramos (realizadora), Rüdiger Suchsland (realizador/crítico/programador)

It’s a Wrap! O IndieLisboa 2018 revisto pela crítica
Sex 4 Maio, 17h00, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
90‘, em português (entrada livre)

Moderador: Paulo Cunha (professor universitário/programador)
Convidados: André Santos (Observador/Sábado), Francisco Noronha (Público/À Pala de Walsh), Jorge Mourinha (Público)

Arranca já amanhã a décima quinta edição do IndieLisboa

São quase 250 obras que, até dia 6 de Maio, ocuparão as principais salas de cinema da cidade, numa selecção de produções nacionais e internacionais que visitam o universo de cineastas recentes, consagrados e únicos. Partindo da Culturgest, do Cinema São Jorge, do Cinema Ideal, da Cinemateca e da Biblioteca Palácio Galveias, a décima quinta edição do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema, volta a marcar pela aposta na produção nacional, são 49 filmes portugueses que, este ano, se mostram no evento; e na criação de um conjunto de iniciativas complementares que, da conversa à música, promovem o diálogo com e sobre o cinema. Um destaque especial, neste 2018, para as mulheres, que, nas sessões de curtas metragens da Competição Internacional, realizaram 18 obras, num total de 33 filmes.

Aposta forte este ano para o calendário de actividades especiais, com três cine-concertos: John Parish: Screenplay, filme-concerto (4 de Maio na Culturgest), Strá..Tum..Pschh, com Joaquim Albergaria e Ricardo Martins (28 de Abril, na Culturgest) e My Macau, uma cine-performance com António-Pedro (30 de Abril, no Cinema São Jorge).

Na secção familiar e infantil do festival, o IndieJúnior, as oficinas completam, com desafios, a programação de cinema. Na oficina O teu “animanimal”, a realizadora alemã Julia Ocker partilha a forma como chega às ideias para os seus filmes (1 de Maio, Cinema São Jorge); numa cine-oficina, a bailarina e coreógrafa Yola Pinto vai propor uma imersão no trabalho da artista plástica Anne Vasof (29 de Abril, Cinema São Jorge). Nas outras três oficinas orientadas pela Volta Fica, desenham-se outras pontes para outros filmes da programação. Haverá ainda espaço para vermos as escolhas da turma do 9ºE da Escola D. Filipa de Lencastre, na sessão Eu Programo um Festival de Cinema, ou para estar “à vontade” nas sessões descontraídas do evento, onde o silêncio não vai ser uma imposição.

Último destaque para a sessão única de cinema ao ar-livre, a ter lugar no Cine-Teatro do Capitólio, dia 30 de Abril, com a passagem única de As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra, em noite de lua cheia.

A programação completa do festival pode ser consultada em www.indielisboa.com. Os bilhetes já podem ser comprados nas bilheteiras centrais da Culturgest, Cinema São Jorge, no Cinema Ideal e no site da Ticketline.

Os dois primeiros episódios de Sara passam no IndieLisboa

Sara é uma conceituada actriz de cinema que, um dia, decide mudar a sua carreira. Cansada de chorar no ecrã, abandona as filmagens e avisa o seu agente que o tempo agora será outro. Começa a experimentar o mundo das novelas, do Facebook, do Instagram, das sessões fotográficas com a família em casa para revistas cor-de-rosa e a frequentar, com regularidade, um motivador pessoal, uma espécie de Life Coach de emoções, numa busca por algo diferente que a faça sentir mais próxima do grande público.

Ao longo dos oito episódios desta série, que marca a estreia de Marco Martins na realização para TV, acompanhamos os desenvolvimentos na nova vida de Sara e a sua tentativa de se reinventar como actriz. A ideia original deste projecto pertence a Bruno Nogueira que, para além de integrar a equipa de escrita, irá interpretar o papel do Life Coach que Sara passa a visitar. Beatriz Batarda irá encabeçar o elenco da série, vestindo a pele da protagonista Sara. Marco Martins e Beatriz Batarda têm vindo colaborar em inúmeros projectos, tanto no cinema (Alice e São Jorge) como no teatro (As Criadas).

Os primeiros dois episódios já têm estreia marcada, passam no IndieLisboa numa das sessões especiais do festival, a ter lugar na quinta, dia 3 de Maio, no Grande Auditório da Culturgest.

Olhares sobre a literatura nacional

Homem-Pykante – Diálogos com Pimenta, o mais recente filme de Edgar Pêra, estreia-se em Lisboa a 5 de Maio. Mais do que um documentário, esclarece a produtora, o filme é um retrato poético que celebra a obra de Alberto Pimenta, resultado de uma amizade com mais de 24 anos. Autor de uma vasta e insubmissa obra, que cruz os espectros da poesia, ficção, teatro e linguística, Alberto Pimenta é também reconhecido pela dimensão performativa do seu trabalho. Em Homem-Pykante – Diálogos com Pimenta, Edgar Pêra parte de arquivos (filmados por si) de performances, conversas e leituras do poeta e ensaísta, posteriormente seleccionadas e organizadas por Manuel Rodrigues e posteriormente montadas pelo realizador. A versão que se apresenta no IndieLisboa é um dos (muitos) resultados possíveis, uma versão balão-de-ensaio, concebida especialmente para festival e, por isso mesmo, única e irrepetível.

Outros olhares sobre a literatura nacional propostos no cartaz deste ano do IndieLisboa são Mabata Bata, baseado no conhecido conto homónimo de Mia Couto, escrito em 1986. Uma adaptação para cinema do realizador Sol de Carvalho (produtor de Our Madness, presente na Competição Nacional) da história de Azarias, um jovem pastor órfão que um dia vê o seu melhor boi, Mabata Bata, explodir devido a uma mina terrestre deixada pelos combatentes da guerra que decorre no país. Espaço à obra de Fernando Pessoa para ver na sessão especial: Quantas Vezes Tem Sonhado Comigo? e O Passageirodois filmes que oferecem diferentes olhares sobre um dos maiores poetas da língua portuguesa. Quantas Vezes Tem Sonhado Comigo? marca a estreia na realização de Júlia Buisel, onde as ruas de Lisboa se enchem com personagens de textos pessoanos (com Catarina Wallenstein e Dinis Gomes). Depois, O Passageiro, novo filme de Luís Alves de Matos (Refúgio e Evasão, IndieLisboa 2014) explora a labiríntica biblioteca de Pessoa, encontrando nos textos de outros a essência do poeta (com Marcello Urgeghe). Viagem ainda à obra de um dos maiores romancistas russos, Fiódor Dostoiévski, com A Mulher Doce, onde Sergei Loznitsa transforma um melodrama surrealista numa potente parábola política sobre a Rússia de hoje.

Exibição Filmes || Datas:

Homem-Pykante – Diálogos com Pimenta
5 de Maio, 19h00, Grande Auditório da Culturgest

Mabata Bata
5 de Maio, 21h45, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira

Sessão Especial: Quantas Vezes Tem Sonhado Comigo? e O Passageiro
6 de Maio, 17h30, Grande Auditório da Culturgest

Krotkaya
27 de Abril, 21h45, Pequeno Auditório da Culturgest

Compre já os seus bilhetes IndieJúnior!

O IndieJúnior está mesmo quase a arrancar e os bilhetes para todos os filmes e oficinas que compõem a secção já estão à venda na Culturgest, Cinema São Jorge no site da Ticketline.

Este ano, para além de todas as actividades divertidas que os miúdos podem fazer, o IndieJúnior vai contar com um animado bailarico que vai pôr todos a dançar e também um incrível filme-concerto onde dois bateristas vão acompanhar filmes com a música que compõem em palco! Strá… tum… pschh!

Consulte a lista completa de filmes aqui e o calendário de sessões e actividades aqui

Criar um puzzle de sons com a Rádio ZigZag

Fazer cinema para os ouvidos é o mote desta oficina dinamizada pelos radialistas da Rádio ZigZag. Um momento para exercitar a audição e descobrir como os sons são fundamentais para contar uma história e criar uma atmosfera cinematográfica.

Esta oficina acontece nas manhãs de dia 5 e 6 de Maio, sempre pelas 11h, na sala 6 da Culturgest.

A entrada é gratuita mas limitada, por isso o melhor é fazer a inscrição através do e-mail: radiozigzag@rtp.pt.

Um workshop com uma realizadora

Uma oficina com uma realizadora é sempre enriquecedora mas uma oficina com uma realizadora que faz filmes muito divertidos e que está disposta a revelar-nos os segredos do seu sucesso nem sempre é fácil de encontrar!

No dia 1 de Maio, pelas 16h na sala 2 do cinema São Jorge, os nossos espectadores vão poder fazer uma oficina com Julia Ocker, a talentosa realizadora de filmes de animação como Lobo, Zebra e Pinguim. Ela é especialista em animais e assina a série Animanimals, onde, a cada episódio, conhecemos um animal com pequenas particularidades. Cada um tem uma aventura absurda que não poderia acontecer a nenhum outro. À procura de uma solução, cada animal aprende uma lição sobre a vida, enquanto o público ri às gargalhadas sentado confortavelmente na cadeira de cinema. Nesta tarde de descoberta, os participantes vão descobrir como fazer uma história incrível como seu animal preferido.

O teu “animanimal”- inventa um animal com a realizadora alemã Julia Ocker é uma oficina para +6 anos e tem um custo de 5€ por participante. Os bilhetes estão à venda nas bilheteiras do Cinema São Jorge e no site da Tickeline.

Para mais informação, visite a página sobre as oficinas.

Oficinas escolas para todas as idades!

As inscrições para as oficinas escolas com a Volta Fica – Oficina Criativa estão abertas. São três oficinas de criação plástica a partir dos filmes do IndieJúnior e diferentes para os públicos distintos da secção: Os bichos carpinteiros (+3 anos), Eu faço cartazes de cinema! (6-12 anos) e Cidades imaginárias – ou cenários para um futuro filme (10-15 anos).

Carpintaria, serigrafia e modulação de volumes são algumas das maravilhosas técnicas que vão ser postas em prática para quem quiser pôr “as mãos na massa”.

Os grupos escolares que se queiram inscrever devem fazê-lo através dos seguintes contactos: hello@volta-oc.pt, +351 932 826 402. O valor por aluno é de 5€.

Para saber em que dias acontecem as oficinas escolas da Volta Fica, consulte a página com toda a informação.

Cine-oficina com a bailarina e coreógrafa Yola Pinto

Uma oficina que junta várias artes num só lugar. Conduzida pela bailarina e coreógrafa Yola Pinto, que já habituou o pequeno e grande público à sua energia contagiante e fresca, esta oficina integra a projecção de uma curta do programa do IndieJúnior, Coisas e Maravilhas 2022 da realizadora, arquitecta e artista visual Anna Vasof, e depois segue para a exploração das pistas que o filme sugere para desenvolver um trabalho de corpo em torno dos objectos, do insólito e da família.

Se quer passar tempo de qualidade e criatividade, não perca este momento no dia 29 de Abril, pelas 11h na acolhedora sala 2 do Cinema São Jorge. A duração aproximada é de 90 minutos e tem um custo de 5 euros por participante. Os bilhetes estão à venda nas bilheteiras do Cinema São Jorge e no site da Ticketline.

Para mais informações, consulte a página relativa às oficinas.

Desconto na sua primeira viagem Taxify para o IndieLisboa

Os dias no IndieLisboa são longos e repletos de sessões, filmes, actividades, talks e festas. São cinco salas espalhadas um pouco por toda a cidade a acolher o melhor cinema durante onze dias – Culturgest, Cinema São Jorge, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa, Cineteatro Capitólio – e dois locais que irão prolongar os dias do festival com festas pela noite fora, a Casa Independente e o Musixbox.

A pensar nisso, o IndieLisboa estabeleceu uma parceria com a Taxify que dá a oportunidade aos seus espectadores de se deslocarem entre locais de forma mais cómoda e barata.

Descarreguem a aplicação e usem o promo code INDIELX para receberem um desconto de 6€ na tua primeira viagem.

 

 

 

Música do dia para a noite na primeira semana de IndiebyNight

A música é uma das apostas essenciais no cartaz do IndieLisboa. Da secção dedicada aos documentários sobre artistas, géneros e movimentos musicais, IndieMusic, até às festas que ocuparão a Casa Independente e o Musicbox, são várias as propostas para ver e dançar nesta primeira semana de festas do IndiebyNight.

Da editora independente Xita Records, noite de e para amigos. Sexta, 27 de Maio, à boleia de um dos filmes “sensação” da edição deste ano do IndieLisboa, Amor, Avenidas Novas, a Casa Independente será literalmente ocupada com concertos e djsets de um dos mais enérgicos colectivos da cidade. A partir das 23h00 há Lucía Vives e Tomás Varela em concerto no terraço, DJMeias, Duarte Coimbra e Primeira Dama a rodar discos na sala principal e actuação de CAIXADURA na casa de banho. Casa ocupada, gente feliz.

Noite de Sábado, dia 28, ainda na Casa Independente, olhamos o hip hop, tema forte do IndieMusic deste ano com a passagem de dois documentários nacionais sobre o percurso do género no nosso país. As despesas da festa são assumidas por Sleep在Patterns e Lost Soul, responsáveis pela banda sonora do filme Hip to da Hop, e Silab’n’Jay Fella. Uma noite de ritmo em que é provável que apareçam espontaneamente alguns b’boys e b’girls para uns passos de breakdance.

E porque nem ao Domingo é dia de descanso no IndieLisboa, as festas seguem com visita às míticas sessões Desolation Center, míticos eventos da América de Ronald Reagan, organizados por uma geração de miúdos punk que procurava a rebelião, pelas mãos do seu fundador: Stuart Swezey.

Destaque ainda para o diálogo inesperado entre Ricardo Martins e Gabriel Ferrandini numa noite dedicada ao universo musical intemporal de Milford Graves. Segunda, 30 de Abril, na Casa Independente, com curadoria Nariz Entupido.

XITA RECORDS INVADE A CASA INDEPENDENTE COM A AJUDA DE DUARTE COIMBRA
27 SEXTA, 23:00, CASA INDEPENDENTE
FILME RELACIONADO: AMOR, AVENIDAS NOVAS

Alinhamento: Lucía Vives e Tomás Varela (concerto)
CAIXADURA (live) / electrónica
Primeira Dama e Duarte Coimbra (dj set)
DJ Meias (dj set)
Entrada livre

HIP TO DA HOP AFTER PARTY
28 SÁBADO, 23:00, CASA INDEPENDENTE
FILME RELACIONADO: HIP TO DA HOP

Sleep在Patterns (live) / Lost Soul (live)
Silab n Jay Fella (live)
Preço: €5

ANTES DO BURNING MAN, LOLLAPALOOZA E COACHELLA HAVIA O DESOLATION CENTER
29 DOMINGO, 23:00, CASA INDEPENDENTE
FILME RELACIONADO: DESOLATION CENTER

Stuart Swezey (dj set)
Entrada Livre

A NARIZ ENTUPIDO APRESENTA: HOMENAGEM A MILFORD GRAVES
30 SEGUNDA/MONDAY, 23:00, CASA INDEPENDENTE
FILME RELACIONADO: MILFORD GRAVES FULL MANTIS

Gabriel Ferrandini e Ricardo Martins (concerto)
Preço: €5

 

 

Bilhetes IndieLisboa 2018 já à venda

Estamos a poucos dias do festival arrancar. De dia 26 de Abril a 6 de Maio, o IndieLisboa vai encher a cidade com o melhor do cinema livre e os bilhetes já podem ser comprados nas bilheteiras centrais da comprados nas bilheteiras centrais da Culturgest, Cinema São Jorge e no Cinema Ideal e no site da Ticketline. Este ano, a cerimónia de abertura abre as portas ao público e já podem ser comprados os bilhetes para ver o filme que marca o início do festival A Árvore, de André Gil Mata.

Consultem no site a lista completa de filmes e o calendário de sessões para ficarem a par de tudo que vai acontecer durante o festival e todos os filmes que vão ser exibidos no IndieLisboa.

Toda a informação relativa à secção IndieJúnior, dedicada aos mais novos, também pode ser consultada aqui.

O Processo, filme que acompanhou o impeachment de Dilma, estreia no IndieLisboa

São duas horas de filmagens, votações e sessões que acompanham, de forma próxima, o mediático processo que levou ao afastamento de Dilma dos comandos do Senado brasileiro. Recebido com aplauso em Berlim, o longa duração de Maria Augusta Ramos, retrata a estratégia construída pela equipa de defesa da ex chefe de estado brasileira, acusada de maquinar as contas públicas. Sem narração ou entrevistas, o filme assume-se como um documento histórico que percorre as conversas de bastidores, os encontros políticos e a polarização da opinião pública em torno da destituição da primeira mulher presidente do Brasil.

A estreia de O Processo acontecerá no IndieLisboa que, entre o final de Abril e início de Maio, e contará com a presença da realizadora que, a par de apresentar o filme, participará numa conversa em torno das relações entre o cinema, a política e a liberdade. Sob o tema Por um cinema que dá mais força à Liberdade, João Salaviza, Marco Martins, Maria Augusta Ramos, Rüdiger Suchsland falarão sobre as diferentes formas de representação da política no cinema e como este pode levantar questões e abordar injustiças sociais e turbulências políticas. Dia 3 Maio, pelas 17h00, na Biblioteca Palácio Galveias.

Promovendo um olhar crítico e a ligação do cinema com o mundo envolvente, a selecção de filmes do festival lisboeta integrará outros títulos que tocam os arquivos históricos da política mundial. Da análise das responsabilidade históricas da Roménia no Holocausto de Tara Moarta (de Radu Jude), à história, ainda não pacificada, das perseguições nazis de Four Parts of a Folding Screen (de Anthea Kennedy e Ian Wiblin), passando pela análise das técnicas propagandistas do cinema do Terceiro Reich de Hitler’s Hollywood (de Rüdiger Suchsland). Na ponte com a actualidade, o retrato da única prisão aberta de França de La Liberté (de Guillaume Massart) e as histórias da sempre polémica Area 51, na curta homónima de Annabelle Amoros, e da revolta da prisão de Attica em 1971, de Evidence of the Evidence (Alexander Johnston). Destaque ainda para o documentário, Il Risoluto (de Giovanni Donfrancesco) uma das obras no concurso internacional de longas metragens do evento, que filma um testemunho na primeira pessoa sobre a acção da Decima MAS, uma das mais violentas milícias do fascismo italiano.

Exibições Filmes | Datas

O Processo
1 de Maio, 18h30, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira
6 de Maio, 19h00, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira

Tara Moarta
1 de Maio, 17h00, Cinema São Jorge, Sala 3
6 de Maio, 18h00, Cinema Ideal

Four Parts of a Folding Screen
27 de Abril, 18h45, Cinema São Jorge, Sala 3
6 de Maio, 17h00, Cinema São Jorge, Sala 3

Hitler’s Hollywood
5 de Maio, 15h30, Cinemateca Portuguesa, Félix Ribeiro

La Liberté
27 de Abril, 18h30, Pequeno Auditório da Culturgest
6 de Maio, 14h30, Pequeno Auditório da Culturgest

Area 51, Nevada, USA
3 de Maio, 21h45, Pequeno Auditório da Culturgest
5 de Maio, 16h30, Pequeno Auditório da Culturgest

Evidence of the Evidence
3 de Maio, 21h45, Pequeno Auditório da Culturgest
5 de Maio, 16h30, Pequeno Auditório da Culturgest

Il Risoluto
28 de Abril, 18h45, Pequeno Auditório da Culturgest
1 de Maio, 14h30, Pequeno Auditório da Culturgest

 

O discurso feminino no IndieLisboa 2018

Dos números aos temas, o IndieLisboa 2018 é marcado pela forte presença de vozes femininas.

Ao longo do festival, nas sessões de curtas metragens da Competição Internacional, são exibidos 18 filmes realizados por mulheres, de um total de 33.

Lembro Mais dos Corvos, o novo filme do realizador Gustavo Vinagre, é um olhar sobre a história de Julia Katharine, actriz e argumentista transexual. Ao longo dos 85 minutos, o documentário revela eventos da vida da própria artista, bem como eventos ficcionais, que podem retratar a realidade de outras. Filmado em apenas uma noite, o filme não tem nenhum segundo take, mostrando um olhar “cru e realista” sobre a vida da protagonista.  A terceira longa metragem de Susana Nobre, Tempo Comum, mescla cinema e realidade, retratando intimamente um momento marcante na vida de um casal, o nascimento da sua primeira filha.

No olhar da heroína Independente Lucrecia Martel, La niña santa, retrata Amália, jovem católica à entrada da puberdade. Dividida entre o desejo sexual e sua devoção religiosa, descobre, no encontro casual com um médico que visita a cidade, a sua verdadeira vocação: salvar um homem do pecado.

A brincar com os estereótipos, o segundo filme de Aurélien Peyre, Coqueluche, é uma mordaz comédia centrada em Laurine que, com os seus tacões de salto alto, chegou para arrasar. Personagem forte é também a de Ramona, a personagem central de Matria (filme vencedor do grande prémio das curtas do festival de Sundance): uma mulher imparável, que entre todas as dificuldades consegue encontrar tempo para a sua neta.

Claude Lanzmann, provavelmente o maior documentarista vivo e autor do monumental Shoa, apresenta Les quatre soeurs: Paula Biren, Ruth Elias, Ada Lichtman e Hanna Marton. Quatro mulheres judias que testemunharam e sobreviveram aos horrores do holocausto. Lanzmann dá-lhes a palavra, uma hora dedicada à história de cada uma, para que aquilo que viram e aquilo que ainda lembram fique registado.

Na ponte para a música, destaque ainda para Matangi/Maya/M.I.A., o retrato de uma mulher que é um terramoto musical, mas também, político: sempre pronta a pôr em causa todas as formas de conservadorismo. L7: Pretend We’re Dead, um olhar sobre uma das mais emblemáticas bandas do movimento feminista punk underground riot grrrl e Here To Be Heard: The Story of the Slits, sobre as pioneiras do subgénero punky reggae.

Exibições | Datas e Hora

Lembro Mais dos Corvos
30 de Abril, 19h00, Grande Auditório da Culturgest
2 de Maio, 20h30, Cinema Ideal

Tempo Comum
27 de Abril, 21h30, Grande Auditório da Culturgest
1 de Maio, 19h00, Cinema São Jorge, Sala 3
6 de Maio, 16h00, Cinema São Jorge, Sala 2

La Niña
30 de Abril, 21h45, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira

Coqueluche
30 de Abril, 19h15, Pequeno Auditório da Culturgest
2 de Maio, 19h15, Pequeno Auditório da Culturgest

Matria
1 de Maio, 22h15, Pequeno Auditório da Culturgest
3 de Maio, 16h30, Pequeno Auditório da Culturgest

Les quatre soeurs
28 de Abril, 15h00, Cinema São Jorge, Sala 3

Matangi/Maya/M.I.A.
1 de Maio, 21h45, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira

L7: Pretend We’re Dead
27 de Abril, 21h30, Cinema São Jorge, Sala 3
4 de Maio, 19h00, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira

Here To Be Heard: The Story of the Slits
4 de Maio, 23h30, Cinema São Jorge, Sala 3
6 de Maio, 22h00, Pequeno Auditório da Culturgest

Boca do Inferno – Cinema ao ar livre em noite de lua-cheia

Dia 30 de Abril, em noite de lua cheia, o IndieLisboa vai levar o cinema até ao terraço do Cineteatro Capitólio. Com arranque às 21h15, a sessão especial da Boca do Inferno exibe As Boas Maneiras, filme onde Juliana Rojas e Marco Dutra voltam a provar que é possível fundir géneros cinematográficos que antes achávamos impossíveis de combinar. Em As Boas Maneiras o filme de lobisomens junta-se ao musical, tudo coberto com um subtexto político sobre a segregação social no Brasil contemporâneo, onde a homoparentalidade nem sequer é um assunto. Vencedor do prémio especial do júri no festival de Locarno, esta é uma história de amor, contada a dois tempos: o amor romântico de Ana por Clara, e depois o amor maternal de Clara por Joel. O filme é protagonizado pela portuguesa actriz em ascensão meteórica: Isabél Zuaa.

Emblemática é já a Maratona da Boca do Inferno que, ao longo de 6 horas, transforma o Cinema Ideal em ponto de paragem obrigatória para os amantes do cinema mais extremo. A deste ano reúne filmes que não tiveram medo de avançar por temas e territórios assombrosos: um musical de acção com uma equipa S.W.A.T que canta e dança entre tiroteios (Hard Way Musical – The Action Musical), uma invasão de extraterrestres que se escondem entre nós (Mutafucaz), um pacto com o demónio de um coração despedaçado (Coyote), a solidão de um apocalipse zombie (La nuit a dévoré le monde), uma chamada de valor acrescentado (Touche dièse) ou Laissez bronzer les cadavres, onde o western, o filme de máfia e a erótica se misturam num arrebatador Mediterranean standoff.

MARATONA BOCA DO INFERNO
28 de Abril, 22h30, Cinema Ideal

Hard Way Musical – The Action Musical
Daniel Vogelmann, Alemanha, fic., 2017, 34’

Mutafucaz
Shôjirô Nishimi, Guillaume Renard, França, Japão, anim., 2017, 90′

Crème
Lena Ólafsdóttir, Dinamarca, anim., 2017, 5’

Coyote
Lorenz Wunderle, Suíça, anim., 2018, 10’

Vanità
Kevin Pontuti, EUA, fic., 2017, 10’

La nuit a dévoré le monde
Dominique Rocher, França, fic., 2018, 93′

Touche dièse
Erwan Alepée, França, fic., 2017, 3’

La Vie Sauvage
Laure Bourdon Zarader, França, fic., 2017, 14’

Catcalls
Kate Dolan, Irlanda, fic., 2017, 8’

Laissez bronzer les cadavres
Hélène Cattet, Bruno Forzani, França, Bélgica, fic., 2017, 90′

Habemus programa de filmes e sessões para famílias

Fumo branco! Agora é organizar a agenda e apontar tudo o que quer ver e fazer em família no IndieJúnior 2018. Aqui ficam alguns destaques:

.: (todas as idades) As sessões do Quotidiano Animalário foram pensadas para toda a família (29 de Abril, 1 e 5 de Maio). Serão exibidas oito curtas metragens de animação que terminam com a história hilariante de Pinguim, de Julia Ocker, um ser que quer que a festa corra às mil maravilhas mas que não sabe que quando se anda sobre gelo todo o cuidado é pouco.

.: (todas as idades) Também a sessão Tu cá Tu lá é para toda a família (sessão única a 5 de maio). Nela vamos ter locução ao vivo pelas cordas vocais do actor Pedro Cardoso a acompanhar filmes como O Lobo Redondo, de Marion Jamault, em que um lobo que está cheio de fome, vai descobrir um talento que o ajuda a ter sempre a barriga cheia, ou Regresso às Aulas, de Jaques Rozier, que conta a história de um menino e as suas aventuras no primeiro dia de aulas.

.: (+ 5 anos) Cine-concerto “Strá…tum…pschh”, em que dois bateristas dão som a duas curtas metragens (A Febre do Xadrez de Vsevolod Pudovkin e Nikolai Shpikovsky e Polícias de Buster Keaton), dia 28 de Abril, pelas 16h no Grande Auditório da Culturgest. Quim Albergaria e Ricardo Martins num diálogo único e irrepetível entre cinema e música, numa sessão mágica para o pequeno e grande público. A não perder!

.: (+ 8 anos) E claro não podia faltar uma divertida comédia na programação do IndieJúnior. O Professor Sapo, de Anna van der Heide, é uma longa metragem de ficção onde há espaço para a fantasia e onde não há problema nenhum em se ser verde, viscoso e ter quatro patas. Um filme inspirado num livro de Paul Van Loon e que pode ser visto no festival nos dias 1 e 6 de Maio.

Para saber mais sobre a programação, os locais e os horários consulte o calendário famílias aqui.

Cine-concerto: “Strá…tum…pschh”. Dois bateristas dão som a filmes

É mais um daqueles eventos especiais IndieJúnior que vai ficar na memória. Desta vez, Quim Albergaria (Paus) e Ricardo Martins (Pop dell’Arte) foram os convidados para, em palco, através do magnífico som das suas baterias, darem música a duas curtas metragens escolhidas a dedo.

Os filmes escolhidos para esta sessão são A Febre do Xadrez de Vsevolod Pudovkin e Nikolai Shpikovsky e Polícias de Buster Keaton.

Vai ser inédito, um diálogo único e irrepetível entre cinema e música, numa sessão mágica para o pequeno e grande público. A não perder, no palco do Grande Auditório da Culturgest, dia 28 de Abril, pelas 16h.

Segunda sessão para abrir o apetite em Campo de Ourique

Voltamos a espreitar o universo do cinema infanto-juvenil com mais um evento em jeito de menu de degustação para o IndieJúnior. Um Petisco para os Olhos será uma matiné de curtas metragens no sábado, dia 14 de abril, a partir das 16h, na Biblioteca/Espaço Cultural Cinema Europa, em Campo de Ourique.

Durante a sessão serão mostrados os filmes: O Homem de Bolso, de Ana Chubinidze, que mostra como transformar as fraquezas em forças; A Vida de Coati, de Aleksandra Slepchuk, uma história que ensina a valorizar as diferenças; O Cão e o Passarinho, de Maciej Pestka e o Lobo, de Julia Ocker, filmes que falam de visitas inesperadas que mudam os nossos planos; já em A Casa, de Veronika Zacharová, acompanhamos a busca de uma casa pelos donos que partiram sem avisar.

O evento é direccionado a crianças entre os 3 e os 12 anos de idade e famílias e tem entrada gratuita.