Competição Internacional
A Competição Internacional do IndieLisboa é composta por primeiras, segundas e terceiras obras nunca antes mostradas publicamente em Portugal. Foram finalizadas no ano em que decorre o festival ou
 no ano anterior. Nesta secção concorrem longas e curtas metragens (em programas separados) de ficção, animação, documentário e filmes experimentais.

Competição Nacional
A Competição Nacional reúne longas e curtas metragens portuguesas que têm, na sua maioria, a primeira apresentação mundial no IndieLisboa.

Silvestre
Reúne obras de jovens cineastas e autores consagrados, fazendo da singularidade a sua norma. Procuramos mostrar, sob a asa de Silvestre, extraordinárias obras cuja rebeldia espelhe o espírito do festival. Em 2017, o foco está na dupla Gusztáv Hámos e Katja Pratschke, realizadores e curadores que têm dedicado o seu trabalho à exploração do foto filme e das múltiplas relações entre a imagem, a fotografia e o cinema.

Novíssimos
A secção competitiva Novíssimos é constituída por um conjunto de filmes de jovens cineastas que estão a dar os seus primeiros passos. Alguns realizaram o seu filme em contexto escolar, outros foram destemidos ao ponto de realizarem sozinhos a sua primeira obra, independentemente de qualquer apoio. Portugal continua a afirmar novas vozes no contexto cinematográfico que querermos defender, apoiar e mostrar.

IndieJúnior
Esta secção fundamental do IndieLisboa é dedicada aos espectadores mais novos. O IndieJúnior visa contribuir para a formação estético-cultural de crianças e jovens através de uma experiência artística e lúdica diferenciada do seu habitual consumo de imagens em movimento, seja na televisão ou no circuito de cinema comercial. À semelhança do que tem sido habitual, a edição 2017 complementa as sessões de cinema com um conjunto de ateliês, actividades culturais e espaços de criação pensados para os mais pequenos, as famílias e as escolas. A festa do Bairro IndieJúnior será no dia 7 de Maio nos Jardins do Edifício-Sede da Caixa Geral de Depósitos, e conta com as actuações do grupo de teatro Companhia De Outra e do Projecto Bug, a par de várias actividades desenvolvidas com parceiros IndieJúnior.

Herói Independente
Secção retrospectiva dedicada a homenagear figuras nacionais ou internacionais cuja obra tenha contribuído de forma significativa para o enriquecimento do cinema contemporâneo. Este ano, a secção homenageia Jem Cohen e Paul Vecchiali.

IndieMusic
A música é o epicentro da programação IndieMusic. A secção mostra documentários sobre artistas e bandas de culto de todo o mundo. Na edição deste ano, reveêm-se, entre outras, a história dos Oasis, a voz inigualável dos Sleaford Mods e a herança deixada por James Lavelle, o icónico DJ e produtor da cena trip hop.

Director’s Cut
Filmes novos que mergulham na memória do cinema como sua principal inspiração e matéria-prima, incluindo documentários sobre realizadores e actores de culto, e filmes experimentais que retrabalham o património visual cinematográfico. No 14.º festival, a secção volta a ser desenhada em colaboração com a Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, para que a obra dos cineastas seleccionados seja revista em contexto. São visitados os trabalhos de Andrzej Żuławski, Stuart A. Staples, Brecht Debackere, Mark Rappaport, Alejandra Rojo e Laurent Achard, entre outros.

Boca do Inferno
Os filmes aqui mostrados marcham sem medo à beira do precipício, em festivas demonstrações de desafio. Em 2017 reencontramos o grande actor Christopher Lloyd em I Am Not a Serial Killer, a perfeita fusão entre o terror e a geekice; descobrimos porque é que Grave fez espectadores abandonarem a sala de cinema; damos a conhecer o mais recente filme de Ben Wheatley, uma espécie de Reservoir Dogs retro.

Sessões Especiais
As sessões especiais incluem estreias portuguesas e internacionais e programas temáticos. As honras de abertura cabem à estreia nacional de Colo, o mais recente filme de Teresa Villaverde. Apresentamos ainda um ciclo de documentários de Heinz Emigholz, o programa Histórias de Macau, o programa HSLU, o programa Alt-cinema e a estreia dos filmes António Um Dois Três, Construção da Villa Além e Rosas de Ermera. O festival despede-se com o obrigatório I Am Not Your Negro, documentário de Raoul Peck sobre a obra de James Baldwin.