Les garçons sauvages

Bertrand Mandico é provavelmente o mais punk dos cineastas franceses contemporâneos. O IndieLisboa vem acompanhando o seu trabalho, tendo exibido, nos últimos anos, Prehistoric Cabaret, Notre Dame des hormones e Depressive Cop. Les garçons sauvages é a sua primeira longa, um filme que combina a fantasia, o erótico, o filme de piratas e o body horror para construir uma parábola sobre a identidade de género. Uma estonteante alucinação de cores e texturas que venceu o Grande Prémio da Semana da Crítica no festival de Veneza. Um filme que põe o Q em Queer.

Depressive Cop

A obra cinéfilo-trash de Bertrand Mandico (Prehistoric Cabaret e Notre Dame des Hormones, IndieLisboa 2014 e 2015) atinge novo cume com Depressive Cop, um filme policial desfigurado.

Notre Dame des hormones

“Notre Dame des Hormones” leva-nos para o retrato fantástico e surrealista do encontro de duas actrizes, numa floresta encantada, com um estranho e feíssimo objecto de prazer.

Prehistoric Cabaret

Em Prehistoric Cabaret uma mulher sobe ao palco para executar uma colonoscopia burlesca recorrendo a uma câmara orgânica, que nos faz viajar ao seu interior em busca do ser original.