JÚRIS OFICIAIS

JÚRI DA COMPETIÇÃO INTERNACIONAL DE LONGAS METRAGENS

Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa
15.000 Euros + 3000 Euros em serviços Ingreme

Prémio Especial do Júri canais TVCine & Séries
Aquisição dos direitos do filme para Portugal

Giona A. Nazzaro

Giona A. Nazzaro

Nascido em 1965, em Zurique. É o delegado geral da Semana da Crítica do Festival de Veneza. Trabalha como jornalista e crítico em várias publicações (Il Manifesto, Film TV, MicroMega, Filmcritica). É também escritor, a sua primeira colecção de contos foi publicada em 2010. Colaborou com o Festival de Cinema de Turim, foi programador e curador do Visions du Réel e trabalha para o Festival de Cinema de Locarno. Foi ainda o curador da exposição Il di/segno del cinema.

Paz Lázaro

Paz Lázaro

Faz parte do comité de selecção da Competição e do Panorama no Festival de Berlim. É também a delegada para o cinema hispânico e actua como consultora para a Academia do Cinema Europeu. Durante vários anos trabalhou em produção cinematográfica, em filmes como Nómadas (2000) ou Sobre el arcoiris (2003), trabalhou também em produção de teatro. É licenciada em Filologia Espanhola, Filologia Inglesa e Sociologia.

Manuel Mozos

Nascido em 1959, em Lisboa. Realizador, tem também trabalhado como montador, assistente de realização, anotador, argumentista e por vezes actor. Tem experiência em teatro, espectáculos e publicações musicais. Trabalha desde 2001 no Arquivo da Cinemateca Portuguesa.

JÚRI DA COMPETIÇÃO INTERNACIONAL DE CURTAS METRAGENS

Grande Prémio de Curta Metragem
4000 Euros + 2000 Euros em serviços Ingreme

Prémios Turismo de Macau
Animação

500 Euros

Ficção
500 Euros

Documentário
500 Euros

Katja Pratschke

Estudou cinema na Lódz Film School, na Polónia, e Artes dos Media na Academy of Media Arts, em Colónia. Desde 2006, produz uma série de fotofilmes em colaboração com Thomas Tode e Gusztáv Hámos, com quem colabora desde 1998. Os seus filmes e instalações foram exibidos no Tate Modern em Londres, na Bienal de Veneza, e no IndieLisboa, entre outros. Recebeu vários prémios como o Prémio da Curta Metragem Alemã.

Richard Raskin

Nascido em 1941, Richard Raskin é o editor da revista Short Film Studies, publicada no Reino Unido. Foi membro de diversos júris em festivais de cinema em França, Bélgica, Índia, Alemanha, Holanda, Suécia, entre outros, dando frequentemente palestras sobre curta metragem em escolas de cinema e festivais de cinema de numerosos países. Tem editado diversos livros sobre o tema: Kort filmen som fortælling (2001) e The Art of the Short Fiction Film: A Shot by Shot Study of Nine Modern Classics (2002) e os seus artigos foram publicados em jornais como Zeitschrift für Kunstgeschichte, Film History, Journal of Media Practice, Asian Cinema, P.O.V. – A Danish Journal of Film Studies e The Canadian Journal of Film Studies. Duas curtas metragens com argumentos seus venceram vários prémios em festivais de cinema internacionais.

Filipe Abranches

SONY DSC

Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC). Professor no departamento de Ilustração/Banda Desenhada do Ar.Co. Foi docente da ESAP/Guimarães (Escola Superior Artística do Porto – Pólo de Guimarães) entre 2006 e 2008, tendo aí sido o coordenador do primeiro Mestrado em Ilustração do país. É ilustrador do semanário Expresso e publicou ilustrações em diversos jornais: Público, Le Monde (França), O Independente e jornal I. Na área dos filmes de animação ganhou o prémio Restart de melhor realização de curta-metragem portuguesa no Festival IndieLisboa 2009, com os Pássaros. Realizou outra curta-metragem de animação Sanguetinta, que estreou no Curtas de Vila do Conde. Foi-lhe atribuído em 2011 o terceiro apoio do ICA, uma animação de 15 minutos Chatear-me-ia morrer tão joveeeeem… Este filme teve a sua estreia internacional no IndieLisboa 2016, tendo obtido diversos prémios no estrangeiro (Sommets du cinéma d’animation/ Festival international de Montréal – 2016: Grand Prix de la compétition internationale) e em Portugal (Caminhos do Cinema Português 2016: Grande Prémio da Selecção Oficial), (Monstra 2017: Melhor curta portuguesa).

JÚRI DA COMPETIÇÃO NACIONAL

Prémio Allianz – Ingreme para Melhor Longa Metragem Portuguesa
2500 Euros oferecidos pela Allianz + 3000 Euros em serviços na Ingreme

Prémio Ingreme para Melhor Curta Metragem Portuguesa
1500 Euros + 2000 Euros em serviços na Ingreme

Prémio Novo Talento FCSH/Nova – Curta Metragem
1500 Euros

Prémio Walla collective para Melhor Filme da Secção Novíssimos
2000 Euros em serviços de pós produção em imagem e som na Walla Collective

Antoine Barraud

Antoine Barraud

Como realizador dirigiu Monster, a sua primeira curta metragem, em 2004. Deluge e Monstre numéro deux foram os filmes seguintes. Os filmes foram todos apresentados numa série de festivais de cinema, desde Premiers Plans-Angers a Sarajevo. Antoine Barraud trabalhou depois na realização de diversos retratos de realizadores como Kenneth Anger, Kohei Oguri, Shuji Terayama e Koji Wakamatsu. Como produtor trabalhou com Tsai Min Liang na curta metragem Madame Butterfly. Em 2012, dirigiu a sua primeira longa metragem, Les gouffres, com Nathalie Boutefeu e Mathieu Amalric. A sua segunda longa metragem, Le dos rouge, contava no elenco com Bertrand Bonello, Géraldine Pailhas e Jeanne Balibar. Em 2016, co-produziu O Ornitólogo de João Pedro Rodrigues e co-escreveu o argumento de Cassandro, the Exótico com Marie Losier.

Paulo Bertolín

Paolo Bertolin é programador de festivais, crítico de cinema e produtor. Pertence ao comité de selecção do Festival Internacional de Cinema de Veneza desde 2008. A partir de 2010, trabalhou como correspondente regional, cobrindo vários territórios na região Ásia-Pacífico. Colaborou com os Festivais Internacionais de Cinema de Pequim, Hanói e Mumbai, o Instituto de Cinema de Doha, o Festival de Cinema do Extremo Oriente de Udine, o Visions du Réel em Nyon, o Festival Internacionalde Cinema de Roterdão, a Semana da Crítica de Cannes, o Festival Internacional de Cinema de Bratislava e o Locarno Open Doors.

Maike Mia Höhne

Maike Mia Höhne é curadora da Berlinale Shorts desde o Verão de 2007. Nasceu em Hanover em 1971 e estudou Comunicação Visual em Hamburgo e Cuba. Completou uma pós-gradução em Hamburgo sobre cinema. Desde 2001, tem trabalhado como curadora, produtora, fotógrafa e realizadora em diferentes contextos. Nos últimos anos organizou diversas palestras e moderou debates sobre cinema. Os seus filmes são distribuídos pelo Arsenal. A sua primeira longa metragem, 3/4, estreou no Festival de Cinema de Hamburgo em 2014.

JÚRI INDIEMUSIC

Prémio Indiemusic Schweppes
1000 euros

Mário Valente

Mário Valente

Desde a sua abertura, em 1999, Mário Valente é o DJ residente e programador do bar Lounge, em Lisboa. É também o anfitrião das festas de rock obscuro, Salón Fuzz, evento que se transformou num programa semanal na rádio Vodafone FM. Tem também um programa mensal na Rádio Quântica. Além disso, é designer gráfico, trabalhou em curtas metragens de animação e foi crítico de cinema e música em diversas publicações.

Joana Sá

Joana Sá

Pianista, compositora, improvisadora e investigadora no âmbito da música contemporânea. Tem desenvolvido o seu trabalho a solo com o director de fotografia e realizador Daniel Costa Neves, com o qual fez o filme Through This Looking Glass. Tem-se apresentado em concerto no âmbito de importantes programações nacionais e internacionais, tendo também gravado a solo e em diversas formações. Fez música para cinema e teatro, destacando-se a música do filme Tabu de Miguel Gomes.

Tó Trips

To Trips

Começa a tocar guitarra aos 12 anos, com uma guitarra do tio. No liceu forma uma banda, os Amen Sacristi, banda essa que toca no Rock Rendez Vous. A convite de Jorge Ferraz junta-se aos Santa Maria, Gasolina em Teu Ventre!, com quem grava um álbum e vai ao festival de Reading. Vem de lá cheio de ideias, em 1993 forma os Lulu Blind. Gravam três discos e fazem a primeira parte dos Sonic Youth. Em 2000, forma os Hi Fi Jo e mais tarde os The Tysons. Abandona esta formação para formar os Dead Combo.

JÚRIS NÃO OFICIAIS

Amnistia Internacional

Os júris não oficiais são os que não sendo convidados directamente para avaliar uma secção específica do festival, são parceiros do festival, atribuindo prémios consoante categorias determinadas e com os seus próprios critérios, dentro da programação do IndieLisboa 2017.

Prémio Amnistia Internacional
1500 Euros

Filipa Santos
(Membro da Direcção da Amnistia Internacional)

Joana Gorjão Henriques
(Jornalista)

Árvore da Vida

Prémio Árvore da Vida
2000 Euros

Inês Gil
(Cineasta e docente universitária)

Paulo Pires do Vale
(Curador e docente universitário)

Escolas

Prémio Escolas

Inês Proença
(Escola Secundária Camões)

Débora Mogueiro
(Escola Secundária Camões)

Teresa Oliveira
(Escola Secundária Camões)

Universidades

Prémio Universidades

Rafael Afonso
(Escola Superior de Teatro e Cinema)

Leonor Sousa
(Faculdade de Letras)

Teresa Vieira
(Universidade Nova de Lisboa)

Público

Todas as secções, excepto Focos, Programas Especiais, Herói Independente e Director’s Cut.

Prémio Longa Metragem
2000 euros

Prémio Curta Metragem Crocs
1000 euros

Prémio IndieJúnior Famílias Trina
500 euros

Prémio IndieJúnior Escolas DoctorGummy
500 euros