LisbonTalks Universidade Lusófona

Masterclass pós-produção de imagem e mistura de som
Sex 27 Abril, 16h30, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
120′, em português

(entrada livre)

Depois do sucesso da edição passada, o estúdio Walla Collective regressa para uma aula alargada sobre o tratamento do som e das imagens recolhidas durante a rodagem. Partindo de filmes da programação do IndieLisboa 2018, Marco Amaral, colorista de realizadores como João Pedro Rodrigues e Carlos Conceição, Tiago Matos, montador e misturador de som de filmes como Cartas da Guerra, Cisne e 48, e demais membros do estúdio debruçam-se sobre a pós-produção, um processo que visa encontrar uma consistência estética entre todo o material seleccionado.

Convidados: Andreia Bertini, António Porém Pires, Bárbara Valentina, Marco Amaral, Miguel Martins, Tiago Matos (Walla Collective), Manuel Santiago, Pedro Motta (PushVFX)

 

Encontro com Lucrecia Martel moderado por Cláudia Varejão
Dom 29 Abril, 16h30, Culturgest – Pequeno Auditório
90′, em português e espanhol

A emissão de bilhetes terá início uma hora antes da sessão na bilheteira da Culturgest, sujeito à lotação da sala.

Com apenas quatro longas metragens em 15 anos, o regresso de Lucrecia Martel à realização é motivo de celebração e pretexto para uma conversa com a cineasta de culto mundial do novo cinema argentino, uma das vozes mais originais do cinema contemporâneo. Catalogado como atmosférico e dedicado a matérias como moral, intimidade e classe no contexto da sociedade argentina, o cinema de Martel caracteriza-se por um minimalismo narrativo, pela atenção aos detalhes dos gestos e dos corpos, e por um notável uso do som como elemento imersor. Parte-se do seu mais recente filme, Zama, para falar da sua filmografia, das suas personagens, da sua visão do mundo, e do seu processo de questionamento da realidade e de descoberta da sua própria linguagem.

Moderadora: Cláudia Varejão (realizadora)

 

Aula de cinema: análise do filme Le monde vivant
Seg 30 Abril, 16h00, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
120′, em inglês

(entrada livre)

Em jeito de celebração do 15º aniversário do IndieLisboa, o crítico de cinema e programador Boyd van Hoeij (The Hollywood Reporter, Luxembourg City Film Festival) conduzirá uma conversa aprofundada com o público sobre a segunda longa metragem de Eugène Green, título estreado na Quinzaine des Réalisateurs de Cannes e vencedor da primeira edição do festival. Uma comédia dramática medieval de contornos contemporâneos filmada em Super 16, esta animada fábula segue o infortúnio familiar de um ogre que quer comer os dois filhos e da sua mulher que se socorre do auxílio de um cavaleiro. Procurar-se-á analisar com o público como Green criou significado através do uso de elementos como o trabalho de câmara, som, edição e diálogos.

Convidado: Boyd van Hoeij (crítico/programador)

 

Encontro com Jacques Rozier moderado por José Manuel Costa e Maria João Madeira
Seg 30 Abril, 18h30, Cinemateca Portuguesa – Sala Luís de Pina
90′, em francês

(entrada livre)

Mais de 60 anos separam a presente homenagem a Jacques Rozier e a extraordinária primeira curta metragem que realizou em 1955, Rentrée des classes. Contemporâneo de Godard, Truffaut, Varda e Rohmer, Rozier não se tornou tão reconhecido ou amado, muito embora o seu Adieu Philippine (1962) seja um filme inegavelmente marcante para as gerações de cineastas franceses desde então. Mais discreto nos floreios próprios de uma geração que teve de radicalizar o seu cinema, o génio de Jacques Rozier é uma lufada de ar fresco, ainda nos dias que correm.

Moderadores: José Manuel Costa, Maria João Madeira (Cinemateca Portuguesa)

Por um cinema que dá mais força à liberdade
Qui 3 Maio, 17h00, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
90
, em inglês

(entrada livre)

O que faz de um filme uma obra política? Se todo o filme oferece um modelo de conduta, é todo o filme um acto político? Esperam os realizadores contribuir para mudanças políticas? Partindo dos seus filmes, juntamos alguns dos realizadores do IndieLisboa 2018 para propor uma discussão sobre a representação da política no cinema e como este pode levantar questões e abordar injustiças sociais e turbulências políticas.

Moderador: António Rodrigues (Jornal i)
Convidados: João Salaviza (realizador), Marco Martins (realizador/encenador), Maria Augusta Ramos (realizadora), Rüdiger Suchsland (realizador/crítico/programador)

 

It’s a Wrap! O IndieLisboa 2018 revisto pela crítica
Sex 4 Maio, 17h00, Biblioteca Palácio Galveias – Sala Polivalente
90
‘, em português

(entrada livre)

Na véspera de atribuição dos prémios, o IndieLisboa 2018 convida a crítica especializada a discutir a sua programação, os seus destaques, e possíveis surpresas experienciadas até então numa conversa livre e de conclusão incerta que deixará pistas para o último fim-de-semana de visionamentos. Um fórum público ao nono dia do festival onde caberá tudo o que se queira, incluindo reacções e perguntas do público.

Convidado: Francisco Noronha (crítico/realizador)