Júris e prémios

Júris oficiais

Competição Internacional

Grande Prémio de Longa Metragem “Cidade de Lisboa”
15.000 Euros

Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries
Aquisição dos direitos do filme para Portugal

Claire Simon

Nascida em Londres, cresceu no sul de França. Estudou cinema através da prática da montagem tendo realizado, de forma independente e auto-didacta, várias curtas metragens entre o final dos anos 70 e início dos anos 80. Descobriu o cinema directo nos Ateliers Varan nos anos 90 e realizou vários documentários desde então. A sua primeira longa metragem de ficção, Sinon oui (1997), estreou na Quinzena dos Realizadores de Cannes. Foi homenageada na secção do Herói Independente do IndieLisboa em 2014.

James Lattimer

Programador, crítico de cinema e realizador. Membro do comité de selecção da secção Forum da Berlinale desde 2011. O seu mais recente projecto de curadoria foi apresentado no Arsenal – Institute for Film and Video Art. Os seus textos foram publicados na Cinema Scope, Slant Magazine, Fireflies, MUBI’s The Notebook, Film Parlato, Senses of Cinema e desistfilm. A sua primeira curta, All Still Orbit, com-realizado com Dane Komljen, estreou em competição no Festival de Roterdão, em 2016.

Pedro Pinho

Realizador, argumentista e produtor, estudou na ESTC em Lisboa, e em Paris e Londres. Co-realizou os documentários Bab Sebta e As Cidades e as Trocas, e realizou a média metragem Um Fim do Mundo (IndieLisboa 2013) e a longa metragem A Fábrica de Nada, vencedora do Prémio FIPRESCI na Quinzaine des Réalisateurs. Em 2009 co-fundou a Terratreme, produtora que tem assumido um papel central na produção e promoção de novos realizadores no panorama do cinema português.

Grande Prémio de Curta Metragem
4000 Euros

Prémios Turismo de Macau: Animação, Documentário, Ficção
500 Euros (por categoria)

Igor Prassel

Nasceu em 1971. A partir de 2002 começou a exibir mensalmente programas de animação na Cinemateca Eslovena, onde actualmente trabalha como programador. Desde 2010 que ensina História e Teoria da Animação na University of Nova Gorica. Em 2012, a Cinemateca Eslovena publicou o seu livro The Filmography of Slovene Animated Film 1952 – 2012. Em 2004 fundou o Animateka International Animated Film Festival, e é desde então o seu director artístico.

Joana Barrios

Actriz formada pela ESTC, fez uma pós-graduação em Crítica de Cinema e Música Pop em Barcelona. Começou a trabalhar com a sua companhia fetiche, o Teatro Praga, em 2008. Foi a porteira de discoteca mais simpática de sempre, no Lux/Frágil. Escreve e apresenta, com André e. Teodósio, o Super Swing, no Canal Q. Mantém o blogue Trashédia activo desde 2009 e em 2017 lançou Nhom Nhom, o seu primeiro livro. É um livro de receitas para crianças.

Salla Tykkä

Nasceu em 1973. Como artista visual trabalha com filme, vídeo e fotografia desde 1996. Licenciou-se em 2003 na Academy of Fine Arts de Helsínquia, na Finlândia, e participou na Bienal de Veneza em 2001. Tem apresentado exposições colectivas e individuais em museus e outras instituições públicas. Os seus filmes foram apresentados em inúmeros festivais internacionais. A sua curta metragem Giant (2014) venceu o Tiger Award no 43º Festival de Roterdão.

Competição Nacional

Prémio Allianz para Melhor Longa Metragem Portuguesa
5000 Euros

Prémio Melhor Realizador para Melhor Longa Metragem Portuguesa
1000 Euros

Prémio Dolce Gusto para Melhor Curta Metragem Portuguesa
2000 Euros

Prémio Novo Talento FCSH/NOVA
1500 Euros

Competição Novíssimos

Prémio Novíssimos Walla Collective + Portugal Film
2000 Euros em serviços + promoção e venda

Fabianny Deschamps

Nasceu em 1975. Estudou teatro e foi assistente de encenação. No cinema trabalhou como assistente de realização e directora de arte, antes de realizar as suas próprias curtas: Histoires de bonsaïEn mon seinLe grand bassin La lisière. As suas longas, New Territories e Isola, estrearam no programa ACID, em Cannes. Trabalhou como consultora para o CNC e o Canal+. Actualmente é a Presidente da ACID e está a preparar dois novos filmes.

Kim Yutani

Programadora sénior de longas de ficção dos EUA e internacionais para o Festival de Sundance. Coordena também a programação de curtas para o festival, onde é programadora de curtas desde 2006. É consultora artística do Outfest Los Angeles, um dos principais eventos do mundo de cinema LGBT, onde foi directora artística e directora de programação. Foi anteriormente crítica de cinema e jornalista freelancer de cinema independente.

António Caldeira Pires

Tem formação de actor tendo frequentado a Escola Superior de Teatro do Conservatório Nacional e o Lee Strasberg Theatre Institute em Nova Iorque. Trabalhou em espectáculos de Osório Mateus, Nuno Carinhas, Lúcia Sigalho e Richard Foreman entre outros. No cinema participou em filmes de Luís Noronha da Costa, Cristina Hauser, Manoel de Oliveira e João Mário Grilo, entre outros. Desenvolveu trabalho como encenador e pedagogo. Desde 2016, tem exposto com regularidade estando representado nas coleções do Ar.Co e Figueiredo Ribeiro. Presentemente trabalha na Fundação Calouste Gulbenkian como Coordenador para as Artes Performativas e Cinema.

 

 

Competição Silvestre

Prémio Silvestre para Melhor Longa Metragem
1500 Euros

Prémio Silvestre para Melhor Curta Metragem
750 Euros

Penny Lam

Nasceu em Macau em 1988, ainda durante os dias da administração portuguesa. Licenciou-se em Jornalismo pela Universidade de Macau e terminou um Mestrado em Documentário na Goldsmiths, Universidade de Londres. Começou a fazer filmes em 2007, trabalhando sobretudo em documentários. O seu mais recente projecto é a curta Illegalist (IndieLisboa 2018). Lam é actualmente director e programador do Festival Internacional de Documentário de Macau.

Rüdiger Suchsland

Nascido em 1968, vive em Berlim e estudou história, filosofia e ciência política. Trabalha como crítico e especialista em teoria política, e contribui regularmente para a comunicação social alemã. É programador nos festivais de Mannheim-Heidelberg e de Ludwigshafen. É membro da FIPRESCI. Realizou os documentários Caligari – When Horror entered Cinema (2014) e From Caligari to Hitler – German Cinema in the Age of the Masses (IndieLisboa 2015).

Mariana Ricardo

Nasceu em 1980. Divide a sua actividade entre a música e o cinema. Integra as bandas They’re Heading West, The Secret Museum of Mankind, e outras. Compôs e interpretou as bandas sonoras dos filmes Xavier e 4 Copas de Manuel Mozos e de A Cara que Mereces de Miguel Gomes. Co-assinou os argumentos dos filmes de Miguel Gomes – Aquele Querido Mês de AgostoTabuAs Mil e Uma Noites – de João Nicolau – A Espada e a Rosa e John From – bem como de Ramiro de Manuel Mozos.

Competição IndieMusic

Prémio Indiemusic Schweppes
1000 Euros

Gonçalo Frota

Iniciou-se em 1999 na escrita sobre música no jornal Blitz, tendo passado depois pelo semanário Sol e pela Time Out. Escreve actualmente no Público, sendo também colaborador da revista inglesa Songlines. É o autor das notas da reedição integral da obra de José Afonso na editora Orfeu e do prefácio da reedição do livro Unreal – Sidewalk Cartoon, de Bernardo Sassetti. Integrou nos últimos dois anos, o júri dos prémios da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro.

Maria Reis

Lisboa, 1993, profissional na Música enquanto compositora, guitarrista, cantora e co-fundadora das bandas Os Passos Em Volta, 100 Leio, Kridinhux e Pega Monstro desde os 15 anos de idade. Simultaneamente exerce trabalho na editora Cafetra Records como editora, programadora, designer e produtora. Em 2017 estreou-se a solo com o EP “Maria”, o mesmo ano em que se estreia também enquanto actriz no filme Aos Nossos Amigos de Afonso Mota.

Pedro Santos

Actual programador de música da Culturgest, esteve ligado, nas mesmas funções, ao Teatro Maria Matos entre 2009 e 2017. Fez programação para os festivais Atlântico da Zé Dos Bois em 1999, Número em 2001 e MadeiraDig em 2004. Co-fundou a loja de discos Flur. Como artista sonoro, com o projecto Major Eléctrico, co-criou programas de rádio e música para espectáculos de dança, tendo actuado ao vivo em vários países.

 

Júris não oficiais

Os júris não oficiais são parceiros do festival, atribuindo prémios consoante categorias determinadas e com os seus próprios critérios, dentro da programação do IndieLisboa 2018.

Júri Amnistia Internacional
Prémio Amnistia Internacional
(1500 euros)
Miguel Ferreira (Direcção da Amnistia Internacional)
Ana Cristina Pereira (Jornalista)
Hugo van der Ding (Cartoonista)

Júri Árvore da Vida
Prémio Árvore da Vida para Filme Português
(2000 euros)
João Pedro Vala
José Tolentino Mendonça
Olívia Reis

Júri escolas
Prémio Escolas
Marta Serôdio – Escola Secundária Virgílio Ferreira
Matilde Almeida – Escola Secundária de Camões
Pedro Gonçalves – Colégio de Artes Casa Pia

Júri universidades
Prémio Universidades
André Francisco – Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL)
Duarte Nuno Andrez Nery – Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC)
Miguel Revel – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa

Júri do Público
(Competição Internacional, Competição Nacional, Silvestre, Novíssimos, IndieJúnior, Boca do Inferno)
Prémio Longa Metragem
(2000 Euros)
Prémio Curta Metragem
(1000 Euros)
Prémio do Público IndieJúnior DoctorGummy
(500 Euros)